Comer bem

18/05/2015

Uma dificuldade que pode ser encontrada por quem vai sair de barco é com relação ao que levar para comer. Muitas vezes, as embarcações possuem geladeiras muito pequenas ou não as têm. O que fazer nestes casos? Como escolher alimentos que resistam fora de refrigeração e, ao mesmo tempo, não se entregar aos snacks encontrados em grande escala nos supermercados? NÁUTICA selecionou algumas opções que podem ser muito úteis para os passeios. Confira:

– Frutas são opções saudáveis e fáceis de ser consumidas, tanto frescas quanto secas. O melhor é priorizar as mais práticas de comer, como pera, maçã, banana, ameixa, pêssego, laranja e tangerina, e escolher sempre as menos maduras, para que a durabilidade seja maior. Para acompanhar, uma boa escolha é granola ou aveia, também não-perecíveis e com alto valor nutricional. No caso das frutas secas, as opções também são muitas: passas e frutas desidratadas – preferencialmente, sem açúcar – como damasco, banana, maçã…

– Oleaginosas como amêndoas, castanha-do-pará, castanha-de-cajú e nozes, além de recomendadas por nutricionistas, são práticas para manuseio no barco e têm uma boa durabilidade, sem precisar de refrigeração. Pode servir como lanche da tarde ou na hora que bater aquela fominha.

– Pães de forma podem ser consumidos em até uma semana ou um pouco mais, caso o ambiente não seja muito úmido. O ideal – caso vá fazer uma viagem longa – é levar este tipo de carboidrato para a primeira semana e depois optar por torradas, que aguentam mais tempo. Para recheio podem ser utilizadas geleias e margarina. Lembrando que as embalagens devem ser menores, para não ficarem abertas por muito tempo. Legumes secos, como tomate seco, por exemplo, também podem servir de recheios para o sanduíche ou, quem sabe, para uma bela salada.

– Enlatados e conservas são ótimas opções para levar de barco. Vale patê, atum, sardinha, palmito, ervilha, milho, grão-de-bico, seleta de legumes. No entanto, eles devem vir em potes pequenos, para serem consumidos de uma só vez, pois apesar da boa duração, não devem permanecer abertos sem refrigeração.

– Queijos do tipo cream cheese embalados individualmente são fonte de proteína e podem servir de recheio para sanduíches ou serem consumidos sozinhos. Além de ter embalagem prática, há várias versões: light, gorgonzola, pizza, provolone… Biscoitos, cookies, barras de cereais e bolos sem recheio também entram na conversa. Práticos, são boas opções de lanche.

– Para barcos maiores, que contam com fogão – por menor que ele seja – as opções aumentam. Nesse caso, uma boa carne seca pode ser feita para o almoço/jantar. É o caso, também, dos legumes como cenoura, batata, beterraba e cebola que, por possuírem menos água, são mais resistentes e não exigem refrigeração.

– Quem tem fogão, pode, ainda, ter a sorte de comer um bom arroz e feijão, ou outros produtos não perecíveis, como macarrão, lentilha, farinha… Sopas prontas também podem entrar no cardápio.

Foto: Fotolia

 

Curta a revista Náutica no Facebook e fique por dentro de tudo que acontece no mundo náutico.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Casal troca apartamento para viver em veleiro com seis gatos

    Embora a rotina de manutenção do catamarã seja dura e exigente, Aline e José garante que vale a pena

    Novo submarino Tonelero será lançado ao mar no fim de março, no Rio de Janeiro

    Gigante equipamento militar equivale o peso de 234 carros populares e tem 71,6 metros de comprimento

    Carga bilionária: Colômbia vai extrair tesouros do "Santo Graal dos Naufrágios"

    Embarcação espanhola que naufragou em 1708 levou US$ 20 bilhões para o fundo do mar

    Recém-lançado, Neuboat Dock Raymarine é novidade da Marine Express

    Semelhante a uma câmera de ré, o Neuboat Dock é capaz de mapear o ambiente e trazer imagens 360º ao piloto

    Venda de ingressos para o Rio Boat Show 2024 é aberta; garanta o seu

    Evento conhecido por reunir o melhor do lifestyle náutico acontece de 28 de abril a 5 de maio, na Marina da Glória