Ex-engenheiro da F1 constrói obras de arte com peças de carros de corrida

Ao unir a paixão pela vida marinha com sua experiência no automobilismo, o sul-africano Alastair Gibson fez arte

Por: Redação -
08/11/2022
Arraia Manta pode ser feita sob medida, com estampa personalizada

Alastair Gibson nasceu perto de Johannesburgo, estudou na escola King Edward VII e, durante as férias na casa de praia da família, se apaixonou pelas formas dos animais marinhos e foi fisgado pela dinâmica do peixe rápido que avistou, o que o levou a fazer aulas de escultura — uma característica fundamental no trabalho que produziria anos mais tarde.

Interessado em automobilismo por influência do pai, Alastair se formou em engenharia e se mandou para a Europa, movido pelo sonho de trabalhar na indústria esportiva do automobilismo. Ele passou 14 anos na Fórmula 1, 4 como mecânico-chefe da equipe Benetton e 10 como chefe da equipe de mecânica do BAR e Honda Grand Prix.

Feito com peças e materiais de carros do Grand Prix, o Mako Filhote reproduz o tubarão mais rápido dos oceanos

Por quase uma década, cuidou dos carros de Jenson Button, que é o feliz proprietário de uma das icônicas esculturas de tubarão-martelo de Alastair Gibson. Rubens Barrichello e David Richards também têm peças do artista.

Nos dias de folga da Fórmula 1, eu comecei a fazer esculturas com pedacinhos de titânio que pegava nas oficinas – Alastair Gibson

Ao observar semelhanças entre modernos carros de corrida e peixes, Alastair usou suas habilidades para desenvolver uma série de esculturas feitas com fibra de carbono. Teve a ideia de se tornar artista por volta de 1995, quando se juntou à equipe Benetton F1.

 

“Eu andava pelas oficinas de peças e pegava pedacinhos de titânio. Pensava na precisão e na beleza deles. Então, nos dias de folga, comecei a fazer esculturas. Todo ano eu fazia três ou quatro peças e dava para minhas amigas, ou minhas irmãs”, contou.

Inspirada no carro BWT Alpine Formula One Grand Prix 2022, a Baby Piranha Alpine é uma versão menor da escultura Racing Piranha 2, encomendada por Rubens Barrichello em 2007

Usando peças e tecnologia de Fórmula 1, ele conquistou o mundo com seus peixes de formas diferenciadas. Dessa forma, combinou suas paixões: arte, biologia marinha e o mundo do automobilismo.

 

Desde que se tornou artista profissional, Alastair abraçou todas as suas experiências para criar esculturas verdadeiramente únicas. A ligação entre sua carreira mecânica e a arte é essencial.

O peixe Hidro Aero 787 reproduz um peixe voador

Artista em tempo integral há 15 anos, Gibson é reconhecido como precursor na escultura de fibra de carbono, único que fazia esculturas exclusivamente com peças de carros de F1. Os olhos da escultura Hydro Octo, por exemplo, vêm de um rolamento de impulso do Honda Racing F1 Team, com a montagem de uma coluna de direção modificada.

A Dory de Carbono foi encomenda da Drang Gallery, do Reino Unido

De seu Studio 45, perto de Oxford, na Inglaterra, desenvolve uma série de projetos — de encomendas particulares e uma coleção de produtos lifestyle a instalações. Ainda utiliza seus conhecimentos de engenharia para reciclar peças e componentes dos carros de Fórmula 1, mas incorporou também o uso de metais, impressão 3D e outros materiais da vanguarda e tecnologia atuais.

Como um dos principais predadores dos oceanos, para mim a lula é uma peça incrível de design e engenharia – Alastair Gibson

O Humboldt de Carbono exibe a bela forma hidrodinâmica da lula de Humboldt

O trabalho de Alastair tem sido exibido em todo o mundo e suas esculturas já fazem parte de colecionadores na América do Norte, Europa, Ásia, Austrália, Oriente Médio e África do Sul. E pode ser conferido em várias galerias no Reino Unido, Estados Unidos, Europa Rússia e Dubai.

 

A estrela de Gibson está em ascensão no mundo contemporâneo e seu crescimento é merecido. Suas esculturas são visualmente notáveis, com muito cuidado nos detalhes. Embora ele tenha escapado para outros temas, ainda são os peixes o foco do seu trabalho. Você pode conferir mais de seu trabalho no Instagram do artista.

 

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Olimpíadas de Paris: você sabia que o surfe não será disputado na França?

    Em decisão polêmica, Comite Olímpico escolheu outro país para sediar todas as baterias do esporte; entenda

    Adolescente para lancha desgovernada e impede acidente em lago nos EUA

    Imagens gravadas por quem estava no local mostram jovem de 17 anos saltando de um jet em direção ao barco que rodopiava sem condutor

    Público do Brasília Boat Show tem desconto exclusivo em hotéis parceiros; saiba como funciona

    Visitantes do evento náutico, que atraca pela primeira vez no Lago Paranoá, poderão desfrutar de condições especiais no momento da reserva

    Navio de pesquisa de 1962 é capaz de “ficar de pé” no mar; assista em ação

    Quando na vertical, paredes internas viram pisos e móveis são adaptados para a nova posição

    Na dúvida de qual jet comprar? Confira modelos da Sea-Doo para cada necessidade

    Empresa conta com opções que atendem desde iniciantes no universo náutico até apaixonados por velocidade ou pesca