Megaiate de 180 metros desaparece no mar europeu. Onde ele está?

Por: Redação -
28/08/2020
O misterioso e gigante Azzam, avaliado em 570 milhões de euros, deixou de emitir sinal nesse mês e desapareceu sem deixar rastros
Siga o nosso TWITTER e veja a série Dicas Náuticas diariamente: @revista_nautica

O mistério do sumiço do megaiate de 180 metros Azzam, cujo o nome significa determinação, iniciou-se no dia em que a bela embarcação deixou o estaleiro alemão Lürssen Yachts rumo à marina de Tarragona, na Espanha, onde permaneceu quatro meses para o término de decorações e contratações de tripulação. Os anos foram se passando e, desde 2015, o barco seguiu navegando mar afora, percorrendo grandes localidades e sendo reconhecido. Porém, nesse mês de agosto, após o gigante atracar no terminal marítimo de Cádiz, na Espanha, não houve mais nenhum sinal da embarcação tida como maior iate do mundo.

Azzam iateO design exterior do barco ficou por responsabilidade da Nauta Design e, para o interior, o estilista francês Christophe Leoni, cuidou de todos os detalhes. O próprio estaleiro alemão, fabricante do barco, ficou a frente do desenvolvimento de toda a engenharia possível, mas as ordens claras do proprietário foram: um navio luxuoso e com elegância.

Azzam iateO projeto foi encomendado por Khalifa Bin Zayed Al Nahyan, sheik e presidente dos Emirados Árabes Unidos, que sofreu um derrame cerebral em 2014, e passou o controle para seu meio-irmão Mohammed bin Zayed Al Nahyan, príncipe herdeiro dos Emirados. Como todos sabem, sheiks são conhecidos pelas fortunas e vidas extravagantes, e com eles não é diferente, tornando essa realidade perceptível na encomenda barco, que ultrapassa os 500 milhões de euros. Comportando uma tripulação de 50 pessoas, o Azzam tem 6 conveses, 20 metros de largura e um calado de 4,3 metros, que facilita a navegação em águas pouco profundas.

Leia também

» Novo maior iate do mundo, o REV Ocean, de 600 pés, terá a missão nobre de proteger os oceanos

» Projeto do maior megaiate particular do mundo prevê cassino e galeria de arte

» Lancha de design clássico que pertenceu ao dono da Fiat vai a leilão

Desde sempre foi possível saber onde estava o Azzam. Não que houvesse fotografias ou notícias dos seus passeios ao longo da costa de Abu Dhabi, mas através de sites de registros e sinalizações, que mostram em tempo real as posições de todas as embarcações a partir do número identificativo de navios (IMO). Entretanto, se consultado o barco não consegue ser encontrado em nenhum desses meios, o que gera diversos questionamentos de onde poderia estar o navio “fantasma”.

Uma coisa é fato, desde o início de seu projeto, o Azzam carregou um ar oculto e de intensos segredos. Essa omissão pode ter sido intensa demais? Não é possível saber. O “fantasma” pode estar em qualquer lugar da Europa neste exato momento.

Por Felipe Toniolo, sob supervisão da jornalista Maristella Pereira

Gostou desse artigo? Clique aqui para assinar o nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp e receba mais conteúdos.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Olimpíadas de Paris: você sabia que o surfe não será disputado na França?

    Em decisão polêmica, Comite Olímpico escolheu outro país para sediar todas as baterias do esporte; entenda

    Adolescente para lancha desgovernada e impede acidente em lago nos EUA

    Imagens gravadas por quem estava no local mostram jovem de 17 anos saltando de um jet em direção ao barco que rodopiava sem condutor

    Público do Brasília Boat Show tem desconto exclusivo em hotéis parceiros; saiba como funciona

    Visitantes do evento náutico, que atraca pela primeira vez no Lago Paranoá, poderão desfrutar de condições especiais no momento da reserva

    Navio de pesquisa de 1962 é capaz de “ficar de pé” no mar; assista em ação

    Quando na vertical, paredes internas viram pisos e móveis são adaptados para a nova posição

    Na dúvida de qual jet comprar? Confira modelos da Sea-Doo para cada necessidade

    Empresa conta com opções que atendem desde iniciantes no universo náutico até apaixonados por velocidade ou pesca