Pernambucano de Kite

Por: Redação -
25/05/2015

Os praticantes de kitesurf em Pernambuco se reuniram, neste domingo (24), para disputar, pela primeira vez, uma etapa do Campeonato Pernambucano da classe. A competição, que reuniu mais de 20 velejadores de duas categorias – Open, aberta a todas as pranchas, e Race, em que só competem pranchas certificadas pela Associação Internacional de Kiteboarding (IKA), foi realizada no Pontal de Maria Farinha, Litoral Norte de Pernambuco.

Destaque para os paraibanos, que figuraram entre os três primeiros na categoria Kite Racing Geral. O bicampeão mundial de Kite, Wilson Bodete, faturou o primeiro lugar geral da etapa. Pedro Crispim, também da Paraíba ficou em segundo lugar e Bodetinho, filho de Wilson Bodete, ficou em terceiro. O pernambucano Carlos Moura, Carlito, ficou em quarto e Pedro Duque, também de Pernambuco, completou o pódio.

No Kite Racing (amador), Pedro Duque ficou em primeiro, Bidinha e Borba em terceiro, todos de Pernambuco. No KiteSurf (Open), melhor para Yuli que faturou o primeiro lugar. Toinho ficou em Segundo, Josenildo em terceiro, Alexandre em quarto e Kaká em quinto.

Apesar da superioridade paraibana, o destaque positivo da competição foi o pontapé inicial para disputa do Pernambucano. “Hoje a Paraíba é referência no esporte. No entanto, o fator mais marcante foi a realização do Estadual por parte do Cabanga. Acredito que no próximo ano, teremos pernambucanos figurando entre os melhores nas competições regionais e nacionais”, comentou Carlito, capitão da flotilha de Kitesurf do Cabanga.

De acordo com o gerente de vela e técnico da modalidade no Cabanga, Edival Júnior, a competição foi bastante positiva para o desenvolvimento do esporte em Pernambuco. “Muitos expectadores marcaram presença na competição que reuniu um bom número de velejadores. Mais uma vez, o Cabanga contribuiu para o desenvolvimento da vela em geral”, destacou Edival Júnior.

Ao todo, o Campeonato Pernambuco será disputado em seis etapas ao longo do ano. Todas essas regatas contam pontos para o Ranking Estadual e Nacional. Os velejadores mais bem pontuados poderão, no próximo ano, pleitear incentivos tanto do Governo Estadual quanto do Federal. É importante lembrar que a modalidade será esporte olímpico nos Jogos de 2020.

Fotos Camila Nogueira/Divulgação

 

Curta a revista Náutica no Facebook e fique por dentro de tudo que acontece no mundo náutico.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Memória Náutica: relembre como foi o Rio Boat Show do ano 2000

    Terceira edição do evento teve de lancha sendo construída ao vivo a tanque de mergulho de 5 m de profundidade

    Com propulsão eólica, Airbus terá frotas marítimas contra emissões de dióxido de carbono

    Gigante da indústria aeroespacial terá velas rotativas e motores biocombustíveis; entenda

    Vila flutuante nas Maldivas promete ser o mais novo "point" dos milionários

    Projeto da rede de hotéis de luxo Soneva traz uma série de comodidades luxuosas com diárias a partir de R$ 25,6 mil

    São Paulo inaugura estruturas náuticas de uso público para alavancar turismo

    Municípios de Pereira Barreto, Três Fronteiras e Rubinéia deram início à primeira fase do Programa de Turismo Náutico

    Nada de bingo! Aos 81 anos, velejadora aposentada bate recordes navegando sozinha

    Mesmo aposentada, Jeanne Socrates já realizou voltas ao mundo num veleiro, e totalmente solitária