Ajuda

Por: Redação -
27/06/2014

No mês de maio o arqueólogo Barry Clifford declarou ao mundo que pode ter encontrado a nau Santa Maria, uma das três caravelas que Cristovão Colombo comandou na descoberta da América em 1492. A descoberta foi feita durante mergulhos na costa do Haiti. Clifford só irá ter certeza se os destroços são mesmo da nau Santa Maria caso consiga investigar a fundo os destroços, mas para isso precisa de dinheiro, coisa que o Haiti não tem. Por isso a Unesco ofereceu ajuda ao país.

O pedido de ajuda partiu do próprio Haiti que reconhece a importância histórica desta possível descoberta. A ministra da Cultura do país, Monique Rocourt, enviou uma carta, em 12 de junho, pedindo ajuda ao Conselho Científico da Convenção da Unesco para a proteção do patrimônio cultural subaquático de 2001. A Unesco enviará ao Haiti uma missão de especialistas para examinar os destroços e isso poderá determinar se a descoberta se trata realmente a nau Santa Maria de Cristovão Colombo.

“Nos próximos meses a Unesco enviará uma missão para avaliar o estado deste patrimônio submerso em frente à costa da cidade de Cabo Haitiano, ao norte do país”, declarou um comunicado da organização com sede em Paris.

Foto: Divulgação

 

Curta a revista Náutica no Facebook e fique por dentro de tudo que acontece no mundo náutico.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Vírus gigante encontrado no Ártico pode amenizar efeitos do aquecimento global

    Estudo aponta que o organismo, mil vezes maior do que o vírus da gripe, consegue desacelerar o derretimento do gelo; entenda

    Estrada de pedra de 7 mil anos atrás é registro da história no fundo do Mar Adriático

    Cerâmicas e outros artefatos encontrados no local são vestígios que podem ter pertencido a antiga civilização de Hvar, na Croácia

    Curtir paisagens com água diminui a frequência cardíaca, apontam estudos

    Efeito positivo da água sobre a pressão arterial foi comprovado em três experiências com humanos

    Estaleiro holandês Feadship lança seu primeiro superiate movido a energia solar

    Embarcação de 59,5 metros representa mais um passo da marca rumo ao objetivo de ser neutra para o clima até 2030

    Mestra levará seu maior barco ao Marina Itajaí Boat Show 2024

    Estaleiro estará no evento náutico com três opções de lanchas que vão de 29,5 pés a 35 pés