Barcos da Volvo Ocean Race terão novos hidro-geradores

Por: Redação -
20/10/2016

A Volvo Ocean Race anuncia a instalação de novos hidro-geradores nos barcos para a edição 2017-18 da regata de Volta ao Mundo.

Os veleiros de 65 pés terão inicialmente uma fonte de energia de backup para o motor Volvo Penta. Todos os oito barcos – os sete da última edição, além do novo one-design que será construído no estaleiro Perisco Marine, na Itália, terão o gerador, que pode fornecer energia suficiente para executar os sistemas de bordo essenciais em caso de falha mecânica. Além disso, o hidro-gerador reduz a quantidade de combustível consumido pelo sistema eletrônico e não interfere na velocidade.

Um barco já foi instalado com a unidade para testes e os resultados têm sido significativos, de acordo com o diretor de manutenção Volvo Ocean Race, Nick Bice. “Nos últimos anos, a gente trabalha arduamente na busca por energias alternativas. O hidro-gerador é similar a um pequeno motor de popa, com uma hélice que gira com a água que flui, gerando energia elétrica de volta para as baterias no barco. Nossos testes não mostraram nenhum impacto perceptível no desempenho de velocidade”.

A velejadora Liz Wardley, que disputou dias edições da Volvo Ocean Race, está próxima da construção e re-fit dos barcos atualmente. Segundo ela, o hidro-gerador é eficiente. “Já foi provado o que a unidade pode fazer. A agora só precisamos provar sua confiabilidade não apenas como uma fonte de energia de backup, mas um fornecedor principal”.

O reequipamento de toda a flotilha está atualmente em curso no estaleiro naval em Lisboa. Até junho de 2017 – quatro meses antes do início da próxima edição – os veleiros serão entregues. A regata começa em Alicante em outubro de 2017 e terá 45 mil milhas náuticas ao redor do planeta, terminando na holandesa Haia oito meses depois.

Foto: Marc Bow

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Armatti Yachts vai exibir três lanchas no Marina Itajaí Boat Show 2024

    Modelos de 30, 37 e 42 pés marcarão presença no evento, que acontece de 4 a 7 de julho

    Por que a tocha olímpica não apaga debaixo d’água? Entenda

    Tradicional revezamento que antecede os Jogos contou com trecho submerso na França, a 20m de profundidade no Mediterrâneo

    Enorme submarino de guerra surge em Santos, no litoral de São Paulo

    Embarcação da Marinha, o Tikuna - S34 chamou a atenção ao atracar com tripulantes sobre o casco

    Quase 1.500 anos: cientistas identificam a planta marinha mais antiga do mundo

    Espécie de alga marinha surgiu no Mar Báltico no período das Invasões Bárbaras, de 375 d.C. a 700 d.C

    Copa Mitsubishi de Vela: 2ª etapa termina com premiação e domingo sem ventos

    Participantes disputaram regatas no sábado, mas premiação aconteceu no dia seguinte sem novas competições