Copa da Juventude reúne futuros nomes da vela brasileira

Por: Otto Aquino -
13/10/2016

Começou na segunda-feira (dia 10) a Copa da Juventude, campeonato importante no calendário da Vela Jovem no Brasil. Seletiva para o Mundial da Juventude, em Auckland, na Nova Zelândia, em dezembro, a competição com sede no Iate Clube do Rio de Janeiro reúne os futuros nomes da vela brasileira e conta com uma presença ilustre: Javier Torres, técnico da dupla Martine Grael e Kahena Kunze, campeãs olímpicas nos Jogos Rio 2016 na classe 49erFX.
“A Copa da Juventude é o futuro da vela do Brasil. Fiquei surpreso com o nível dos velejadores no primeiro dia de competição. Tem uma galera muito boa. Acho que podemos ficar tranquilos com a renovação de atletas para as próximas edições dos Jogos Olímpicos”, afirmou o treinador espanhol.

Javier Torres (Crédito: Fred Hoffmann/CBVela)

Javi acompanha os velejadores nas regatas e tem conversas diárias no fim do dia para uma avaliação do desempenho dos atletas. Ele tem a companhia de outros treinadores que estiveram nos Jogos Rio 2016, casos de Alexandre Saldanha, técnico de Robert Scheidt, e Bruno Di Bernardi, técnico de Ricardo Winicki, o Bimba. Além das palestras para os garotos, o espanhol dará três clínicas para treinadores presentes na Copa da Juventude.
Para se tornarem grandes atletas e disputarem os Jogos Olímpicos, casos de Martine Grael, Kahena Kunze, Marco Grael, Gabriel Borges e Henrique Haddad, que estiveram presentes no primeiro dia de disputa da Copa da Juventude, Javi aconselha: “A garotada tem de treinar muito e se dedicar. Assim os resultados vão chegar”.
A edição 2016 da Copa da Juventude conta com 95 velejadores de 7 estados nas classes Laser Radial (masculino e feminino); 420 (masculino e feminino); RS:X (masculino e feminino); 29er (masculino e feminino) e Hobie Cat 16 (aberto). Para competir, o atleta precisa ser brasileiro, ter idade abaixo de 19 anos (nascido após 31 de dezembro de 1997) e registrado na Federação Internacional de Vela (World Sailing).
Os vencedores em cada classe na Copa da Juventude ingressam no Programa de Desenvolvimento Individual de Atletas da Confederação Brasileira de Vela (CBVela). Nele, o Conselho Técnico de Vela Jovem e a diretoria da entidade avaliam os atletas para a formação da Equipe Brasileira de Vela Jovem que irá representar o país no Mundial da Juventude.
A Copa da Juventude 2016 tem organização da CBVela e do Iate Clube do Rio de Janeiro. Conta com patrocínio do Banco Bradesco e do Grupo Energisa e apoio da Federação de Vela do Estado do Rio de Janeiro (Feverj).

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Vírus gigante encontrado no Ártico pode amenizar efeitos do aquecimento global

    Estudo aponta que o organismo, mil vezes maior do que o vírus da gripe, consegue desacelerar o derretimento do gelo; entenda

    Estrada de pedra de 7 mil anos atrás é registro da história no fundo do Mar Adriático

    Cerâmicas e outros artefatos encontrados no local são vestígios que podem ter pertencido a antiga civilização de Hvar, na Croácia

    Curtir paisagens com água diminui a frequência cardíaca, apontam estudos

    Efeito positivo da água sobre a pressão arterial foi comprovado em três experiências com humanos

    Estaleiro holandês Feadship lança seu primeiro superiate movido a energia solar

    Embarcação de 59,5 metros representa mais um passo da marca rumo ao objetivo de ser neutra para o clima até 2030

    Mestra levará seu maior barco ao Marina Itajaí Boat Show 2024

    Estaleiro estará no evento náutico com três opções de lanchas que vão de 29,5 pés a 35 pés