Desafio do tempo

Por: Redação -
10/07/2015

As condições de vento exigiram novamente que a Comissão de Regatas buscasse todas as opções para realizar ao menos uma prova nesta quinta-feira (9). Foram duas horas e meia de espera, recompensadas por uma regata de percurso triangular que se tornou muito técnica diante das dificuldades impostas pela variação do vento, percurso reduzido e correnteza.

Na classe ORC Geral, a vitória no tempo corrigido foi do Itajaí Sailing Team, do Iate Clube de Santa Catarina. “Em regata de percurso a gente tem de cuidar muito da tática e da velocidade do barco. É muito difícil de gerenciar e qualquer erro é fatal. Vamos aguardar as regatas barla-sota (entre boias) que nivelarão mais as disputas”, contou o comandante da equipe de Florianópolis, Marcelo Gusmão.

Na classificação geral da ORC o barco catarinense ocupa a quinta colocação. A liderança é do Seu Tatá (RJ), seguido pela tripulação uruguaia do Cristabella. A situação passou a indicar a possibilidade de um duelo equilibrado na classe C30. O Loyal CA Technologies chegou em segundo, atrás do vencedor +Realizado, resultado que leva o barco de Ilhabela à liderança do Campeonato Brasileiro e da Ilhabela Sailing Week, com dois pontos de vantagem sobre o Caballo Loco em ambas as disputas.

“Fizemos as três boias em primeiro lugar e no final, de contravento, o +Realizado chegou antes do que a gente no vento e venceu a regata. A CR salvou mais um dia com uma bela regata”, relatou o timoneiro do Loyal, Marcelo Massa, atual campeão brasileiro de C30. “Tudo ainda pode acontecer, mas a tendência a partir de agora é de que a briga fique entre nós e o Caballo Loco. Não partiremos para match race, vamos continuar velejando com tranquilidade. Existe respeito na água e amizade fora dos barcos entre as duas tripulações”, assegurou Marcelo.

O dia também foi favorável ao Asbar II, do Yacht Club de Ilhabela (YCI). O veleiro de Sérgio Keplacz venceu a única regata da quinta-feira e assumiu a liderança na classificação geral da RGS. “A regata foi excepcional. Na largada todos foram para o lado da CR e nós optamos pela boia, de vela à direita. Velejamos à frente dos adversários de ponta a ponta”, comemorou o comandante do Asbar II.

O Inaê Transbrasa aproveitou a oportunidade para permanecer entre os primeiros colocados da RGS. O outro barco do YCI é o líder na divisão A e quarto colocado na geral. “Fizemos manobras casco a casco com o Kalymera numa regata de ventos muito rondados. Nosso barco é pesadão e o percurso foi encurtado. Não deu para abrir muito tempo em relação aos adversários”, relatou o tático do Inaê, Gereba Carvalho.

Na estreante classe HPE 30, Renata Bellotti assumiu o leme no lugar do irmão Marcelo, que passou a competir de Star. A velejadora levou o Capatosta à primeira vitória em Ilhabela. “Foi meio na sorte. Os outros dois barcos nos ultrapassaram e achei que tudo estava perdido. Mantivemos a calma, conversamos muito a bordo e conseguimos fazer as regulagens necessárias. A chegada foi estonteante. Vencemos o Tahiti Nui por alguns centímetros”, respirou Renata, aliviada.

Para completar o vitorioso dia em família, Marcelo Bellotti estreou na classe Star com duas vitórias em duas regatas ao lado de Pedro Bolder. A dupla paulista lidera a competição, seguida pelos argentinos Torkel Borgstrom e Juan Pablo, com os campeões sul-americanos Marcelo Fuchs e Ronald Seifert em terceiro lugar. A HPE 25 também correu suas duas primeiras regatas com vitórias de Atrevido, com Fábio Bocciarelli, e Repeteco Take Ashawer, com Marcos Ashawer. Entre os barcos de oceano, pelo segundo dia seguido o Magia Energisa com Lars Grael e família foi o fita azul, primeiro a cruzar a linha de chegada.

Líderes de cada classe até esta quinta-feira

ORC Geral e ORC A – Seu Tatá (Paulo Cesar Haddad.)
ORC B – Santa Fé (Nelson Avila Thomé Jr.)
ORC C To Nessa (Renato Faria)
IRC – Santa Fé (Nelson Avila Thomé Jr.)
C30 – Loyal/CA Technologies (Marcelo Massa)
Brasileiro de C30 – Loyal/CA Technologies (Marcelo Massa)
HPE 30 – Thaiti Nui (Juninho de Jesus)
HPE 25 – Atrevido (Fábio Bocciarelli)
Clássico – Cangrejo (Ricardo Carvalho)
Mini – Jacaré (Pedro Fukui)
RGS Geral – Asbar II (Sérgio Klepacz)
RGS A – Inaê/Transbrasa (Bayard Umbuzeiro Filho)
RGS B BL3 Urca (Pedro Rodrigues)
RGS C De Boot (Robert Van Horn)
RGS Cruiser Boccalupo (Claudio Melaragno)
Bico de Proa A – Viveree (Atanawe Boechat)
Bico de Proa B Cocoon (Luiz Caggiano)
Star – Marcelo Bellotti/Pedro Bolder

Fotos Marcos Méndez/SailStation e Fred Hoffmann

 

Curta a revista Náutica no Facebook e fique por dentro de tudo que acontece no mundo náutico.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Fountaine Pajot leva catamarã de 16 metros ao Rio Boat Show 2024

    Aura 51 é o maior catamarã a vela sem flybridge do estaleiro francês e estará no evento náutico de 28 de abril a 5 de maio

    No NÁUTICA Talks, Elio Crapun palestra sobre revolução dos hidrofólios nas embarcações

    Velejador abordará detalhes sobre realidade e avanços de barcos que navegam sobre fólios durante o Rio Boat Show 2024

    Casarini Boats levará mistura de bote com jet ao Rio Boat Show 2024

    Embarcação inovadora será um dos destaques do evento que acontece de 28 de abril a 5 de maio, na Marina da Glória

    No NÁUTICA Talks, Paula Vianna mergulha nos desafios da fotografia subaquática

    Vencedora de concursos internacionais, fotógrafa é presença confirmada no Rio Boat Show 2024

    Série de NÁUTICA com família a bordo de barco centenário já tem data de estreia

    Com 10 episódios, “A Europa como você nunca viu” acompanhará um casal, uma criança e um cachorro pelos canais dos Países Baixos