História e navegação

27/01/2016

O Museu Náutico da Universidade Federal do Rio Grande (Furg), no cais do porto histórico de Rio Grande, no Rio Grande do Sul, ganhou um novo atrativo. Depois de 60 anos de atividade, a ex-corveta Imperial Marinheiro, embarcação que durante décadas percorreu os mares do Sul em missões de patrulha, resgate e salvamento, foi atracada no local e passa a receber o público em geral.

Desde a última sexta, 22, quando foi aberta à visitação, o navio de guerra passou a servir como um “museu flutuante”, um dos poucos no país, servindo como um novo espaço educativo, instrumento de divulgação de história naval brasileira. Apenas a cidade do Rio de Janeiro – com um contratorpedeiro – e  Belém (PA) – com outra ex-corveta –, têm iniciativas como essa.

Tudo no navio de guerra foi preservado: os equipamentos de navegação – que parecem antiquados diante da tecnologia presente nas embarcações atuais, mas preservam significativo valor histórico –, o timão, as metralhadoras e o canhão são originais. A embarcação passou apenas por um processo de revitalização e desarmamento, que envolve a retirada de munições e líquidos inflamáveis como o óleo diesel.

Foto: Reprodução

Assine a revista NÁUTICA: www.shoppingnautica.com.br

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Fotos inéditas do Titanic prometem revelar detalhes nunca vistos dos destroços

    Expedição ao naufrágio conta com dois robôs ultra tecnológicos, que farão imagens e mapeamentos 3D no fundo do oceano

    Brasília Boat Show terá presença da NX Boats com lancha de luxo assinada pela Pininfarina

    Modelo estará nas águas do Lago Paranoá de 14 a 18 de agosto; ingressos para o salão já estão disponíveis

    Lancha resistente a fuzil é o novo reforço da Polícia Militar do Paraná; conheça o barco

    Embarcação militar Aruanã 29-CM-P atuará junto à Patrulha Costeira no combate à criminalidade e segurança de 39 comunidades

    Rei e cerveja: conheça a pequena ilha que tem ‘monarca’ próprio e pub centenário

    Pertencente à Inglaterra, Ilha de Piel é habitada há pelo menos 3 mil anos e conta com um antigo castelo

    Olimpíadas de Paris: você sabia que o surfe não será disputado na França?

    Em decisão polêmica, Comite Olímpico escolheu outro país para sediar todas as baterias do esporte; entenda