Ilha deserta está à venda, mas vendedor tem exigência curiosa

Por: Redação -
07/07/2022

Já imaginou ter uma ilha deserta só para você? A Ducks Ledges Island, no estado americano do Maine, está à venda, mas seu dono tem uma exigência curiosa: o comprador antes precisa passar uma noite nela.

 

Menor do que um campo de futebol, a ilha tem apenas 6.070 m² e tem o preço de 339 mil dólares — aproximadamente R$ 1.840.000 (valores convertidos em 07/07/2022). Ela fica a 10 minutos de barco da cidade mais próxima, Jonesport. Billy Milliken, seu proprietário desde 2007, assegura que o silêncio é absoluto: “Está longe o suficiente para que você evite qualquer barulho e luz. E lá o céu fica muito escuro, então a noite é linda.”

 

O que também torna a Ducks Ledges tão única é a falta de árvores no local, o que permite uma vista panorâmica do mar. “É como um assento na primeira fila”, acrescentou Billy.

A exigência do dono

Pagar o preço estipulado é apenas uma parte do processo de compra: para conquistar a confiança de Milliken, os interessados devem estar preparados para passar uma noite na ilha deserta. Ele parte do raciocínio de que o comprador, além de apreciar a beleza natural de Duck Ledges, precisa saber lidar com suas peculiaridades.

 

Duas pessoas já completaram o desafio, e mais três agendaram seus pernoites. Segundo Milliken, se mais de um comprador se qualificar, o fator de desempate será seu instinto. “Quando eu sentir que é a coisa certa, então será a coisa certa”, afirmou o proprietário.

Paraíso no verão

Para Milliken, a beleza da ilha se torna mais aparente durante o verão, quando, em suas palavras, “você pode desfrutar muito do oceano e fazer parte dele”.

 

A água ao redor da ilha é ideal para refrescar os dias mais quentes. Um verão particularmente quente que o americano passou na ilha ainda está gravado em sua memória. “Foi um alívio, um alívio físico”, disse ele sobre a brisa costeira. “Dormi na rede. Foi a melhor noite de sono que já tive.”

 

Contudo, o clima se torna impiedoso durante o inverno: as condições meteorológicas incluem gelo, neve e tempestades — mais um desafio para quem quiser viver ali em tempo integral.

 

“Um amigo ficou lá durante uma tempestade no inverno”, disse Milliken, acrescentando que a pessoa estava curiosa por como seria viver apenas do que a ilha poderia fornecer — incluindo peixes, mariscos e mexilhões. “Ele estava pronto para voltar para casa depois de três dias”, diverte-se o proprietário.

Uma casa inusitada

Quando Milliken comprou a ilha, a casa original estava em ruínas. Ele então a demoliu e construiu uma nova.

 

O atual chalé é aconchegante e acomoda até quatro pessoas. Possui duas camas, mas há espaço suficiente para colchões infláveis adicionais. Ao longo dos anos, Milliken dividiu a ilha com sua família e amigos próximos, que preferem fazer passeios diurnos em vez de passar a noite.

A casa fica a apenas 6 metros de distância da água, o que a torna suscetível a inundações decorrentes de tempestades. No entanto, segundo o proprietário, ela é resistente a esse tipo de intempérie: “Houve três momentos diferentes em que as tempestades chegaram à casa, e talvez sob a casa até certo ponto. Mas ela é elevada. Nunca houve danos à estrutura ou ao piso.”

Sem mordomias

O novo dono da ilha terá que se acostumar a viver sem alguns confortos, como aquecimento e água encanada. No lugar de um banheiro interno, os hóspedes precisam usar uma casinha a poucos metros da cabine.

 

“Se alguém pretende torná-la uma residência para o ano todo, enfrentará um desafio”, disse Milliken.

 

Para ele, Ducks Island sempre foi um lugar para se visitar durante o dia. Sua residência principal fica nas proximidades, no continente. “É tentador chegar em casa e tomar um banho”, afirmou.

Um Éden ecológico

A vida selvagem na ilha é praticamente intocada, e inclui lagostas, aves marinhas, águias e focas — que dão à luz filhotes ao redor da ilha.

 

Milliken segue uma tradição de proprietários preocupados com o ecossistema local. Ele disse que os donos antes dele se recusaram a vender Ducks Ledges a um interessado porque ele queria caçar os animais da ilha.

Depois de passar uma década na ilha deserta, ele explica por que se se preocupa tanto com a preservação das espécies: “Em nossas vidas, estamos ocupados e há tantas distrações, mas quando você está naquela ilha, você se sente realmente pequeno. É muito saudável estar lá sozinho, onde você pode realmente ouvir a si mesmo. Você é um convidado da natureza quando está lá.”

 

“Quanto mais tempo eu passo na ilha”, acrescentou, “mais eu entendo que é um lugar especial.”

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Danimar leva scooter aquática e modelos off road ao Rio Boat Show 2024

    Concessionária oficial de marcas como Segway, empresa também apresentará UTV e quadriciclo ao público do evento náutico

    André Homem de Mello recorda histórica volta ao mundo a vela no NÁUTICA Talks

    Primeiro brasileiro a alcançar o feito em solitário e sem escalas integra agenda recheada do Rio Boat Show 2024

    Fernando Moraes conduz mergulho pelas ilhas brasileiras no NÁUTICA Talks

    Biólogo marinho trará à tona detalhes sobre biodiversidade e história de locais emblemáticos durante o Rio Boat Show 2024

    Prós e contras do envelopamento náutico serão discutidos com Pedro Dias no NÁUTICA Talks

    Especialista em adesivagem náutica, "Pedrinho" vai conduzir bate-papo na série de palestras do Rio Boat Show 2024

    Canal Náutica no YouTube fará cobertura ao vivo do Rio Boat Show 2024

    Evento náutico mais charmoso da América Latina contará com transmissão ao vivo todos os dias