Mar doce lar

30/04/2015

Não se pode negar que a ideia de liberdade que um barco-casa traz é muito tentadora, não é? E morar em um barco é o sonho de muitos amantes da navegação! Por isso, NÁUTICA traz nove famílias que fizeram o sonho virar realidade e foram morar a bordo de seus veleiros. Confira e inspire-se! Quem sabe o próximo não é você…

Craca-à-toa
Há mais de dez anos o catamarã de 46 pés Craca-à-toa, baseado em Angra dos Reis, é o endereço fixo do casal José Assis Ribeiro e Maria Teresa Zanetti.

Planeta Água
Ao zarpar do Iate Clube Guaíba, em 2006, ao lado da mulher, Marta, e da filha, Vitória, Fernando Maciel só pretendia fazer a viagem de batismo de seu Delta 32. O Planeta Água acabou virando a casa da família.

Planckton
Em 2003, o então empresário Fabio Gandelman trocou o paletó e a gravata pela vida a bordo do veleiro Planckton, de 43 pés, seu lar ao lado da mulher, Cecília, e do filho, Igor.

Avoante
Desde 2005, ao lado da mulher, Lúcia, o velejador potiguar Nelson Mattos vive a bordo do veleiro Avoante, um Velamar 33. No meio do caminho, criou um blog e reinventou-se como repórter do mar.

Alphorria
Depois de muito competir em regatas, Maurício Rosa comprou o Alphorria, um Fast 345, no qual mora ao lado da Tania Maria, tendo a filha, Tatiana, e o neto, Vítor, como tripulantes eventuais.

Maracatu
Como repórteres do mar, Hélio Viana e Mara Blumer há 15 anos moram a bordo de um veleiro de apenas 29 pés construído por eles mesmos: o Maracatu. “O conforto é pouco, mas o quintal muda todos os dias”, divertem-se.

Gangaia
Há oito anos, Luiz e Valéria Goldfeld venderam a cobertura onde moravam no Rio para morar a bordo do veleiro Gandaia, de 36 pés, com o qual fazem charter. “A casa diminuiu, mas a piscina aumentou”, brincam.

Santa Paz
Ao lado da mulher, Sandra, e das filhas, Júlia e Clara, Lucas Tauil trocou a rotina em São Paulo pela vida a bordo do veleiro Santa Paz. “Educar as meninas a bordo foi uma das maiores bênçãos que vivemos”.

Pajé
Há dez anos, o casal Mário e Paula Maia mora a bordo do veleiro Pajé, com o qual iniciou uma volta ao mundo em 2006, sem data para acabar. “Estamos apenas vivendo com a liberdade que um veleiro permite”, resumem.

Foto: Arquivo NÁUTICA

 

Curta a revista Náutica no Facebook e fique por dentro de tudo que acontece no mundo náutico.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Sino de navio americano naufragado durante a Primeira Guerra Mundial é encontrado na Inglaterra

    Embarcação naufragou após ser atingida por submarino alemão; objeto será exposto no Museu da Marinha americana

    Com método inovador, jovem inventor quer acabar com plásticos no mar

    Irlandês criou equipamento para monitorar poluição aos 12 anos e foi premiado pelo Google aos 18; conheça

    Procurando um terreno? Ilha intocada na Patagônia Chilena está à venda

    Local tem cerca de 445 km², mais de 80 lagos, a Cordilheira dos Andes de fundo e custa aproximadamente R$ 173,6 milhões

    1ª embarcação capaz de produzir seu próprio hidrogênio está prestes a finalizar volta ao mundo

    Barco percorreu mais de 63 mil milhas náuticas só com energias renováveis

    Expedição realizada no Chile pode ter descoberto mais de 100 novas espécies marinhas

    Biólogos do Censo Marinho têm o objetivo de descobrir 100 mil novos seres do mar nos próximos 10 anos