Na frente

Por: Redação -
03/07/2016

A 43ª Semana de Vela de Ilhabela teve início neste domingo (3) com 135 barcos inscritos e com a realização de três regatas de longo percurso, uma tradição do maior evento de vela oceânica da América Latina. O Canal de São Sebastião amanheceu encoberto pela névoa do mar e sem vento. Mas o sol e uma brisa de 6 nós logo apareceram para marcar a estreia da competição em 2016. Às 10h35, o veleiro Cisne Branco deu a largada para as provas. Os vencedores da Mitsubishi Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil (80 quilômetros) só serão conhecidos hoje. Já nas provas de menor distância, os ganhadores foram Phoenix (André Fonseca) na Ilha de Toque-Toque por Boreste (45 quilômetros) e Ginga (Breno Chvaicer) na Renato Frankenthal (35 quilômetros).  Os resultados completos ficarão disponíveis no site oficial do evento: svilhabela.com.br/2016/resultados.

André ‘Bochecha’ Fonseca, atleta de três olimpíadas e três edições da Volta ao Mundo, levou seu HPE 30 à vitória na Ilha de Toque-Toque por Boreste, que reuniu veleiros das categorias C 30, HPE 30, Mini, Bico de Proa, Clássicos e BRA-RGS C. ”A gente conseguiu pegar vento do início ao fim, que apenas ficou fraco no contorno à ilha. Terminamos em primeiro logo no começo do campeonato e isso é bom”, conta Bochecha, que fez três campanhas olímpicas em Sydney 2000, Atenas 2004 e Pequim 2008.

Já a regata Renato Frankenthal, dedicada aos HPE 25, foi vencida novamente pelo Ginga, que mantém o troféu transitório da prova. A tripulação de Breno Chvaicer é uma espécie de Real Madrid ou Barcelona da vela, terminando em primeiro lugar os principais campeonatos na classe HPE. ”O segredo para o sucesso é treinamento. Estamos contentes por ficar com a vitória mais uma vez, principalmente pela regata ter sido bastante complicada com ventos fracos e rondados”, diz Breno Chvaicer.

Entre os dois J70 que também fizeram a Renato Frankenthal, o primeiro lugar ficou com o Tô Nessa (Renato Cunha). A categoria que substitui a J24 no mercado náutico terá, ao todo, cinco veleiros nas regatas programadas para a Semana de Vela de Ilhabela.

A regata mais longa da competição é Mitsubishi Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil, que passa a madrugada em atividade. Os barcos das classes ORC, IRC, BRA-RGS A e B e RGS SILVER sofreram com a falta de vento, principalmente após contornar a Ilha da Sapata. Na largada, os veleiros saíram com vento de popa e corrente a favor. Na volta o vento diminuiu muito – quase parando em alguns pontos – e a situação se inverteu com vento contra e corrente também. Esse fenômeno limita a velocidade dos veleiros.

Nesta segunda-feira (4), os barcos das classes HPE30 e C30 aproveitam o dia de descanso da Semana de Vela de Ilhabela e voltam à água para o Grand Prix dos 30 pés. O desafio é uma das atrações paralelas do evento, com regatas programadas até terça-feira, valendo para um campeonato à parte. O objetivo é colocar em prática habilidade, investimento e entrosamento das tripulações num evento de nível internacional.

De segunda (4) à sábado (9), mais de 100 regatas estão programadas para o Canal de Ilhabela, começando pelo torneio por equipes e o Grand Prix dos 30 pés na segunda-feira (2). Durante o período também será definido os vencedores dos campeonatos Brasileiro de IRC e Sul-Americano de ORC.

Em paralelo com o evento esportivo também acontece, diariamente, uma programação cultural completa com shows musicais, espetáculos culturais, palestras e gastronomia no centro histórico da ilha. No sábado (9), haverá o tradicional desfile das embarcações com a presença do Navio Veleiro “Cisne Branco”, embarcação utilizada no treinamento de formação nas Forças Armadas, a partir das 10h. No mesmo dia, à noite, será realiza a premiação dos campeões.
Foto: Fred Hoffman/Fotop

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Poluição sonora no mar pode ser catastrófica para as baleias

    Barulhos provenientes da navegação de barcos, extração de recursos e outras atividades marítimas afetam a circulação dos animais que se comunicação pelo som

    Confira a melhor forma de chegar ao Rio Boat Show 2024

    Evento náutico mais charmoso da América Latina contará com transfer todos os dias e estacionamento 24h; saiba mais

    NÁUTICA Talks: Izabel Pimentel e Marcelo Osanai contam acontecimentos inesperados na navegação

    Dois navegadores que já passaram por apuros em alto-mar relatam suas incríveis histórias no Rio Boat Show 2024

    Yamaha vai ao Rio Boat Show 2024 com cinco motores e dois jets

    Entre os equipamentos, estão cinco modelos de popa; evento acontece de 28 de abril a 5 de maio

    Memória Náutica: relembre como foi o Rio Boat Show 2019

    Evento chegou a sua última edição antes da pandemia consolidado como o mais importante salão náutico outdoor da América Latina