Sem tripulação

Por: Redação -
09/08/2016

A Rolls-Royce está criando uma tecnologia futurística que vai lançar embarcações ao mar e levá-las em segurança aos respectivos destinos, sem envolver contato humano. O programa de aplicações avançadas autônomas Waterborne (Advanced Autonomous Waterborne Applications) está trabalhando comandos remotos de navios autônomos, que provavelmente serão lançados em 2020.

O projeto AAWA está testando arranjos de sensores na Finlândia e criou a simulação de um painel de controle para navio autônomo que permite que todo o sistema de comunicação seja explorado. Além dos mecanismos altamente automatizados, drones acompanhantes podem ser utilizados para guiar os navios e pedir ajuda. As melhorias de segurança como telas de comando transparentes que alertam sobre icebergs e outros perigos também são impressionantes. O navio precisará de apenas dois capitães para comandá-lo.

Foto: Divulgação

Assine a revista NÁUTICA: www.shoppingnautica.com.br

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Sem deixar feridos, incêndio na Croácia atinge mais de 20 barcos

    Incidente ocorreu em marina na cidade de Medulin, no noroeste do país, no último dia 15

    Nova lancha da Azimut promete reduzir em até 40% as emissões de CO₂

    Batizada de Seadeck 6, embarcação foi apresentada em piscina no maior evento de design do mundo, na Itália

    EUA enviam ao Rio de Janeiro porta-aviões gigante de 333 metros; entenda

    USS George Washington atracou no Brasil como parte da operação Southern Seas, que visa incentivar a cooperação entre os países

    Em fase final de testes, Aquabus de Ilhabela transportaram 1,5 mil pessoas no fim de semana

    Novo sistema de transporte aquaviário contará com três catamarãs e capacidade para 60 pessoas em cada viagem; data de inauguração ainda não foi divulgada

    Italiana Rossinavi lança catamarã híbrido-elétrico de 43 metros

    Modelo nasce como “projeto mais inovador” do estaleiro, com tecnologias sustentáveis e até uso de Inteligência Artificial