Três marinas e seis praias ganham selo ecológico Bandeira Azul

Por: Redação -
04/10/2016

Em reunião realizada em Copenhagen (Dinamarca), o Júri Internacional do Programa Bandeira Azul avaliou as candidaturas a Bandeira Azul para os países do Hemisfério Sul. Nesta ocasião todos os nove inscritos do Brasil foram aprovados para a temporada Bandeira Azul 2016/2017.

Este ano se inscreveram seis praias e três marinas. Dentre os candidatos inscritos são seis renovações e três novas candidaturas que terão a sua primeira temporada iniciando em novembro.

Os candidatos que tiveram sua renovação aprovada foram: a Praia do Tombo, no Guarujá (SP); a Prainha, no Rio de Janeiro (RJ); a Praia de Palmas, em Governador Celso Ramos (SC), e a Praia da Lagoa do Peri, em Florianópolis (SC), além da Marinas Costabella, em Angra dos Reis (RJ), e da Marinas Nacionais, no Guarujá (SP).

A Praia de Ponta de Nossa Senhora, em Salvador (BA), a Praia Grande, em Governador Celso Ramos (SC), e o Iate Clube de Santa Catarina, em Florianópolis (SC) terão neste ano a sua primeira temporada.

O Júri Internacional é composto pela Foundation for Environmental Education (FEE), World Conservation Union (IUCN), European Union for Coastal Conservation (EUCC), United Nations Environmental Program (UNEP), World Tourism Organization (WTO), World Health Organization (WHO), International Life Saving (ILS), International Council of Marine Industry (ICOMIA) e Reef Check Program.

O Programa Bandeira Azul é um selo de caráter socioambiental amplamente reconhecido em todo o mundo. Foi criado pela FEE – Foundation for Environmental Education, uma instituição internacional com diversos integrantes representando seus respectivos países. No Brasil, o Operador Nacional do Programa é o IAR – Instituto Ambientes em Rede.

As praias e marinas inscritas no programa comprometem-se com o cumprimento de critérios distribuídos nas seguintes categorias: educação e informação ambiental, qualidade da água, segurança e gestão ambiental. Para ser certificada a praia/marina candidata deve passar por três instâncias de avaliação, inicialmente pelo operador Nacional do Programa que encaminha as informações ao Júri Nacional e finalmente pelo Júri Internacional que tem a palavra final sobre a certificação.

Foto Divulgação

 

Assine a revista NÁUTICA: www.shoppingwww.nautica.com.br

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Brasileira faz "dobradinha" em premiação da ONU de fotos marinhas

    A fotógrafa Andrea Marandino conquistou a 1ª e 2ª colocação em concurso mundial

    Robô submarino encontra lula com ovos gigantes no fundo do mar

    Cientistas acreditam tratar-se de nova espécie do animal, capaz de botar ovos com o dobro do tamanho comum

    Grand Ocean Boats leva lancha de 37 pés ao Marina Itajaí Boat Show 2024

    Estaleiro exibirá o modelo Grand Ocean 37 na segunda edição do evento náutico, que vai de 4 a 7 de julho

    De 4º maior lago do mundo a deserto: o que aconteceu com o Mar de Aral

    Má gestão de recursos naturais tornou o Mar de Aral um dos maiores desastres ambientais do mundo

    Destroços do último navio de Ernest Shackleton são encontrados no Canadá

    Quest, explorador polar de uma das figuras mais conhecidas da navegação, está no mar de Labrador, a cerca de 390 m de profundidade