Centro Sul-americano

Por: Redação -
16/10/2015

Porto Alegre recebe nesta segunda-feira (19) uma grande competição de vela reunindo Brasil, Argentina, Bermudas, Chile, Equador, Guatemala, México, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela nas águas do Guaíba. É o Campeonato Centro Sul-Americano de Laser, classe olímpica da vela que contará com a participação de cerca de 150 atletas das Américas do Sul, Central e do Caribe. O campeonato é dividido em duas etapas: na primeira é realizado o Centro Sul-Americano de Laser Radial e na segunda é a vez do Laser Standard e Laser 4.7.

Do dia 19 a 23 de outubro ocorrem as disputas da classe olímpica Laser Radial com a participação de com 78 atletas no total. Nos Jogos, o Laser Radial é exclusivamente feminino e a vaga brasileira é de Fernanda Decnop, velejadora medalhista de bronze nos Jogos Pan-americanos de Toronto e campeã sul-americana da classe em 2014, que também estará competindo do Centro Sul-americano de Laser.

“Campeonatos internacionais como este são os melhores treinos que um atleta pode ter para as Olimpíadas, pois o nível é alto e a flotilha é grande, o que faz com que tenhamos uma dificuldade extra e um maior número de variáveis. Estou ansiosa para voltar a velejar na raia de Porto Alegre”, disse Fernanda que também se prepara para o Mundial da Classe Laser Radial Feminino. A atleta fluminense criou uma campanha de financiamento coletivo com o intuito de arrecadar fundos para a competição, marcada para novembro em Omã.

“Apesar de já classificada para os Jogos Olímpicos de 2016 conto com pouco apoio. Em Omã estarão presentes todas as minhas adversárias nos Jogos, é mais uma boa oportunidade para me preparar”, relatou a atleta.

Enquanto Fernanda começa a sua caminhada olímpica, ciclos também se encerram para outros atletas, a exemplo da velejadora olímpica Adriana Kostiw. Ela defendeu o país na Radial nos Jogos de Londres e vem a Porto Alegre encerrar a sua trajetória disputando sua última competição de classes olímpicas oficial da carreira.

“Escolhi terminar a carreira olímpica no Veleiros do Sul, pois foi onde comecei em 1998, para fazer campanha com Martha Rocha para Sidney 2000. Também treinei no Veleiros do Sul para o Pan 2007 e para as Olimpíadas de Londres 2012, passando pelo menos uma temporada por ano ali. É um lugar que inspira a velejar, com a presença de muitos velejadores de destaque no cenário mundial, basta ver quantos olímpicos saem daí”, elogiou a velejadora.

Após o Radial, de 26 a 30 é a vez do Centro Sul-Americano Laser Standard (classe olímpica masculina) e do Laser 4.7, para os velejadores mais jovens da classe Laser.

Assine a revista NÁUTICA: www.shoppingnautica.com.br

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Ilhabela deve ganhar 1ª usina de dessalinização de água de São Paulo em 2026

    Projeto prevê aumento de 22% no volume de água tratada no município, atendendo mais de 8 mil pessoas

    Descanso sobre as águas: hospedagem em barcos atracados é opção de lazer no litoral brasileiro

    Ideia dispensa a necessidade de carteira náutica e traz valores acessíveis para uma experiência pra lá de diferente

    Falkirk Wheel: conheça o elevador gigante para barcos que virou ponto turístico

    Construção na Escócia foi feita para driblar desnivelamento maior que um prédio de dez andares

    Ações de despoluição na Baía de Guanabara fazem vida marinha voltar às águas

    Expedições comandadas pelo Instituto Mar Urbano observaram mais animais na região e melhor qualidade da água

    Boat Show traz descontos exclusivos para hospedagem em Itajaí; conheça opções

    Parceria com dois hotéis garante conforto e condições especiais para visitantes do salão, que acontece de 4 a 7 de julho