Cortando a onda

Por: Redação -
16/08/2015

Estar em um barco de menor porte e se deparar com grandes ondulações é sempre preocupante. Se não for pelo perigo, o que raramente acontece em navegações costeiras, pelo próprio desconforto de passar por elas.

O casco de uma lacha é sempre feito para cortar melhor as ondas sempre de proa, perpendicular às ondulações. Porém, isso na maioria dos casos em que as ondas são pequenas e curtas. No caso de ondas maiores e mais longas, enfrentá-las “de cara” pode ocasionar pancadas muito fortes, podendo, em alguns casos, oferecer até perigo aos tripulantes da embarcação. Neste caso, é melhor cortar as ondulações em 30 ou 45 graus para o lado e sempre em velocidade reduzida.

Tudo, claro, depende, mas em geral essas dicas são importantes para quem pilota embarcações menores, lembrando também que é normalmente mais fácil navegar à favor das ondas, ou seja, sem ter que cortá-las, do que contra elas.

Marcio Dottori ensina como cortar ondas em barco pequeno com o maior conforto possível.

Inscreva-se no canal da TV NÁUTICA no youtube para não perder nenhum novo vídeo!

Assine a revista NÁUTICA: www.shoppingnautica.com.br

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Brasileira faz "dobradinha" em premiação da ONU de fotos marinhas

    A fotógrafa Andrea Marandino conquistou a 1ª e 2ª colocação em concurso mundial

    Robô submarino encontra lula com ovos gigantes no fundo do mar

    Cientistas acreditam tratar-se de nova espécie do animal, capaz de botar ovos com o dobro do tamanho comum

    Grand Ocean Boats leva lancha de 37 pés ao Marina Itajaí Boat Show 2024

    Estaleiro exibirá o modelo Grand Ocean 37 na segunda edição do evento náutico, que vai de 4 a 7 de julho

    De 4º maior lago do mundo a deserto: o que aconteceu com o Mar de Aral

    Má gestão de recursos naturais tornou o Mar de Aral um dos maiores desastres ambientais do mundo

    Destroços do último navio de Ernest Shackleton são encontrados no Canadá

    Quest, explorador polar de uma das figuras mais conhecidas da navegação, está no mar de Labrador, a cerca de 390 m de profundidade