Hotel de luxo em Singapura tem um barco no topo, em homenagem à região portuária

Por: Redação -
10/09/2020

Siga nosso TWITTER e veja a série Dicas Náuticas diariamente.

Um dos quatro tigres asiáticos — ao lado de Hong Kong, Coreia do Sul e Taiwan — Singapura já é um dos dez países mais ricos do planeta e sustenta um dos mais altos PIBs do mundo. E mostra isso com empreendimentos grandiosos, que incluem cassinos e cartões-postais de peso, como o Hotel Marina Bay Sands.

Também conhecido como “Hotel do Barco”, o Marina Bay Sands é um resort integrado a um cassino e a um hotel de luxo. O apelido é uma referência ao formato de seu terraço, que se parece com um navio, suspenso sobre três torres a cerca de 200 metros de altura.

Localizado na Baía Marina (ou Marina Bay), o complexo tem um hotel com 2 561 quartos, vários restaurantes de chefs estrelados, dois teatros grandes, centro de compras, dois pavilhões de cristais, um museu de artes e ciências, um cassino e um parque elevado. Uma de suas maiores atrações está no terraço — uma estrutura de dois andares, chamada SkyPark — que ocupa o topo do conjunto de três prédios de 55 andares: uma piscina de “borda infinita”.

A sensação de infinidade da piscina acontece graças a uma estrutura secundária, pouco mais abaixo e cerca de um metro além da borda da piscina. Ela também serve como reservatório, evitando que a água seja desperdiçada em enormes quantidades.

A plataforma em forma de barco possui um segredo para a sustentação de todo esse volume: a estrutura em aço inoxidável, que comporta em torno de 1500 metros cúbicos só de água.

O SkyDeck, um dos maiores observatórios suspensos do mundo, oferece vista de 360° para a cidade. De lá do alto é possível ver até a pista do autódromo onde é disputada uma das etapas da Fórmula 1.

Leia também

» Conheça o mini barco da Marinha dos EUA que possui o tamanho de um carro

» Tour virtual: como será o São Paulo Boat Show 2020?

» Porto do Recife será “casa” de novo laboratório flutuante nos próximos cinco anos

Já o SkyPark, como é chamado o terraço onde fica o SkyDeck, tem 150 metros de comprimento, 12,5 mil metros quadrados de área e a capacidade de receber cerca de 4 mil pessoas. As árvores e plantas também estão presentes na decoração, e complementam a integração entre os elementos edificados e a natureza.

Dentro do hotel, existe uma infinidade de atrações cheias de peculiaridades. Um dos principais destaques do cassino, por exemplo, é um imenso e belo lustre em cristais Swarowski, a quarenta metros do chão. Já o Museu de Arte e Ciência de Singapura tem 6 000 m² e lembra uma flor de lótus. Tanto a estrutura do Flower Dome como a do Cloud Florest foram planejadas para serem sustentáveis e otimizarem recursos.

Light Up do Hotel e Museu. Foto: Marina Bay Sands

Em números de 2010, quando o Marina Bay Sands foi inaugurado, o grupo Sands de Las Vegas investiu US$ 5,8 bilhões para erguer o complexo, de 120 mil m².

Por ficar em uma região portuária muito movimentada, o hotel foi projetado de forma que a estrutura fizesse alusão ao local em que se situa, a baía Marina. E foi assim que o arquiteto israelense Moshe Safdie decidiu implantar a estrutura de um navio. Por sua vez, o teto do shopping, dentro do complexo, foi projetado para ter a aparência de uma onda do mar.

A construção do Marina Bay Sands foi tão bem programada que, mesmo com atrasos, a velocidade era de um andar inteiro a cada quatro dias. Houve uma preocupação especial em relação à integração entre os elementos edificados e a natureza. A ideia foi inserir belos jardins aos interiores e conectá-los ao exterior.

Também foram acrescidos elementos de proteção e estética remetendo às formas e movimentos do mundo natural.

Com todo esse luxo, a hospedagem de preço fica à altura, apontado como um dos hotéis mais caros do mundo. O hóspede pode escolher entre as opções de acomodações com noventa, quinhentos ou seiscentos metros quadrados. Todas oferecem padrão superior, serviço diferenciado e acesso VIP às áreas privativas.

 

Por Naíza Ximenes, sob supervisão do jornalista Gilberto Ungaretti

Gostou desse artigo? Clique aqui para receber o nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp e leia mais conteúdos.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Mestre em Mecânica, Ricardo Paragon ensina a evitar panes no mar no NÁUTICA Talks

    Empresário e técnico premiado compartilhará dicas importantes durante o Rio Boat Show 2024

    Marinha anuncia regras para barcos durante show da Madonna, no Rio

    Área delimitada para o evento só aceitará embarcações identificadas, vistoriadas previamente e que respeitem os limites de lotação

    Hélio Magalhães divide décadas de experiência como velejador no NÁUTICA Talks

    Com 45 anos de mar e mais de 200 milhas náuticas navegadas, palestrante compartilhará ensinamentos no Rio Boat Show 2024

    Na Holanda, live permite acionar "campainha de peixes" para liberar passagem de animais por eclusa

    Transmissão ao vivo mostra quando um peixe aguarda passagem; espectadores avisam operadores ao "tocar campainha"

    Renault apresenta veleiro desmontável, jet elétrico e prancha motorizada

    Marca francesa propõe novas soluções de mobilidade e mostrou inovações durante lançamento de carro elétrico