Hotel flutuante

03/05/2016

A empresa sérvia Salt & Walter criou um inovador hotel flutuante para promover o “turismo verde”. Projetado para garantir uma estadia tranquila e relaxante, a ideia foi premiada com o “Millennium Yacht Design Awards 2015”, atribuído anualmente para os melhores projetos de embarcações.

Este conceito de hotel flutuante é dividido em duas partes: apartamentos “catamarãs” com uma parte fixa, atuando como uma recepção, restaurante, salão de festas, além de suítes flutuantes. O complexo é equipado como um porto onde cada apartamento pode ser anexado, e cada apartamento é privativo com capacidade para quatro pessoas.

Estes espaços luxuosos oferecem todo o conforto um hotel tradicional, quarto, terraço, espaço para bagagens, banheiro, e um quarto com cama de casal no topo. Uma das características diferenciais deste complexo é baseado na mobilidade de cada suíte:  todas elas são removíveis e dirigíveis, com a possibilidade do cliente navegar livremente no lago para escolher o lugar para se estabilizar e, assim, aproveitar o sol e sua estadia.

Os complexos são projetados para navegar em baixa velocidade e preservam o ambiente local, sem qualquer construção no lago.

Foto: Divulgação

Assine a revista NÁUTICA: www.shoppingnautica.com.br

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Brasileira faz "dobradinha" em premiação da ONU de fotos marinhas

    A fotógrafa Andrea Marandino conquistou a 1ª e 2ª colocação em concurso mundial

    Robô submarino encontra lula com ovos gigantes no fundo do mar

    Cientistas acreditam tratar-se de nova espécie do animal, capaz de botar ovos com o dobro do tamanho comum

    Grand Ocean Boats leva lancha de 37 pés ao Marina Itajaí Boat Show 2024

    Estaleiro exibirá o modelo Grand Ocean 37 na segunda edição do evento náutico, que vai de 4 a 7 de julho

    De 4º maior lago do mundo a deserto: o que aconteceu com o Mar de Aral

    Má gestão de recursos naturais tornou o Mar de Aral um dos maiores desastres ambientais do mundo

    Destroços do último navio de Ernest Shackleton são encontrados no Canadá

    Quest, explorador polar de uma das figuras mais conhecidas da navegação, está no mar de Labrador, a cerca de 390 m de profundidade