MCP Yachts revela o Global Exp 68, seu primeiro veleiro, que acaba de ir para a água

16/03/2021

Ícone da construção de iates com casco de alumínio no Brasil, a MCP Yachts — que já lapidou uma centena de barcos a motor, de 76 a 142 pés — decidiu dar vida a um veleiro, aproveitando a vocação tanto do seu presidente, Manoel Chaves, como do seu filho e braço direito, Damien. O resultado é esse: o Global Exp 68, todo de alumínio, que acaba de ir para a água, descendo a rampa de acesso do estaleiro, no Complexo Industrial Naval do Guarujá, em São Paulo.

Inscreva-se no canal de NÁUTICA no YouTube e ATIVE as notificações

Concebido para ser comandado por uma só pessoa, apesar de seus 68 pés — para isso, a MCP adotou o conceito de raised salon com pilothouse, ou seja, uma sala de comando elevada no centro do barco —, o primeiro veleiro construído pela MCP Yachts busca unir conforto, requinte e tecnologia. Seu casco foi confeccionado com alumínio naval (liga 5083 H116), certificado internacionalmente pelo Lloyd’s Register, de Londres, e revestido de uma liga especial — que dificilmente se rompe em colisões. Mais leve e resistente, esse tipo de alumínio não absorve água. “É o nosso conceito de sustentabilidade”, diz Manuel.

A mastreação (da francesa Craft) é do tipo sloop (um mastro e duas velas), com três enroladores distintos para buja, genoa e gennaker. A área vélica pode ser comparada à de um barco de regatas — daí o Exp (de Explorer) do nome do veleiro. O objetivo é oferecer alto desempenho na hora cruzar os oceanos: a velocidade estimada de cruzeiro é de 10 nós, com ventos soprando na casa dos 15 nós.

Leia também

» Exclusivo: brasileiro Manoel Chaves, da MCP Yachts, irá à Justiça por direitos sobre hidrofólios dos veleiros da America’s Cup 2021

» Pioneira na construção de grandes barcos de lazer no Brasil, MCP Yachts completa 40 anos

» Seaview: o iate que será construído pela MCP Yachts com a holandesa Vripack

Por dentro, além do amplo salão, há quatro camarotes no convés inferior, com espaço e conforto dignos de uma lancha de luxo. Os móveis e anteparas remetem a um conceito que os projetistas chamam de “marcenaria inteligente”, com o uso de material compósito de baixa densidade, o que resulta em maior leveza e melhor desempenho do barco.

Outros diferenciais do veleiro, que tem 1,85 metro de calado: seu leme é duplo, permitindo eficiência e respostas rápidas mesmo quando adernado; e a quilha, pivotante (Swing Keel), amortece o impacto no caso de colisão, protegendo os lemes, o eixo e os hélices.

O resultado é um veleiro que tem tudo para agradar a quem gosta de vela e cruzeiro ao mesmo tempo. “Com ele, procuramos trazer para o mundo da vela o mesmo grau de conforto que nossos clientes encontram em nossos motors yachts”, explica Damien. A julgar pelas primeiras imagens, acertou em cheio na receita.

Gostou desse artigo? Clique aqui para receber o nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp e leia mais conteúdos.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Brasileira faz "dobradinha" em premiação da ONU de fotos marinhas

    A fotógrafa Andrea Marandino conquistou a 1ª e 2ª colocação em concurso mundial

    Robô submarino encontra lula com ovos gigantes no fundo do mar

    Cientistas acreditam tratar-se de nova espécie do animal, capaz de botar ovos com o dobro do tamanho comum

    Grand Ocean Boats leva lancha de 37 pés ao Marina Itajaí Boat Show 2024

    Estaleiro exibirá o modelo Grand Ocean 37 na segunda edição do evento náutico, que vai de 4 a 7 de julho

    De 4º maior lago do mundo a deserto: o que aconteceu com o Mar de Aral

    Má gestão de recursos naturais tornou o Mar de Aral um dos maiores desastres ambientais do mundo

    Destroços do último navio de Ernest Shackleton são encontrados no Canadá

    Quest, explorador polar de uma das figuras mais conhecidas da navegação, está no mar de Labrador, a cerca de 390 m de profundidade