MPF denuncia três britânicos por tráfico no caso de veleiro apreendido com brasileiros na África

Por: Redação -
20/05/2019

O Ministério Público Federal (MPF) informou, na terça-feira (14) que ofereceu denúncia contra os britânicos George Edward Saul, Robert James Delbos e Matthew Stephen Bolton por tráfico de drogas no caso do veleiro que foi apreendido com brasileiros com uma tonelada de cocaína na África.

Segundo o órgão, os britânicos, sob a liderança de Saul, foram os responsáveis por acondicionar a droga no casco da veleiro, sem que os brasileiros contratados para transportar a embarcação soubessem. Dois baianos e um gaúcho chegaram a ficar presos por 18 meses após serem flagrados com a cocaína no arquipélago de Cabo Verde. A embarcação tinha saído de Salvador com destino à Europa, em agosto de 2017.

No final de abril, o inglês Robert James Delbos, suspeito de ser um dos responsáveis por colocar a droga no barco, confirmou, em depoimento à polícia, que os brasileiros não sabiam que a droga estava na embarcação e que são inocentes. Delbos foi preso na Espanha em junho de 2018 por ordem da Justiça brasileira e foi extraditado para Salvador no dia 11 de abril.

O MPF já havia requerido a prisão preventiva dos três denunciados em dezembro do ano passado, quando teve seu pedido parcialmente deferido pela Justiça Federal, que determinou a prisão de Saul e de Delbos.

Daniel Dantas, Daniel Guerra e Rodrigo Dantas foram vítimas de uma quadrilha de tráfico internacional de drogas

LEIA TAMBÉM
>>Equipe japonesa vem ao Brasil participar do primeiro rali mundial de pesca na Amazônia
>>Fountaine Pajot e Volvo Penta firmam parceria em projeto de eletromobilidade
>>Nova matéria-prima usada na fabricação de barcos de fibra de vidro promete criar barreira contra fogo

Após procedimento de extradição, Delbos foi encaminhado ao Brasil, para o presídio de Salvador. Saul está foragido, e quanto a Bolton, o MPF aguarda da Interpol as informações sobre a qualificação e endereço do denunciado.

O MPF ainda afirmou que processo judicial que apura a eventual participação no transporte da droga dos três brasileiros e de um francês – funcionários contratados como tripulantes e que estavam presentes no momento da apreensão – está em curso em Cabo Verde e não foi objeto de análise pelo órgão.

Os velejadores foram presos por tráfico internacional de drogas e condenados, em março de 2018, a 10 anos de prisão pela Justiça de Cabo Verde. Posteriormente, o julgamento foi anulado e, em fevereiro deste ano, os brasileiros foram soltos para responder ao processo em liberdade. O novo julgamento ainda não tem data marcada.

O MPF informou que, agora, aguarda que a Justiça Federal analise a denúncia contra os britânicos e decida pelo seu recebimento para que seja instaurada a respectiva ação penal. Sendo instaurada a ação, os denunciados passarão a ser réus e caberá ao juiz designado dar seguimento ao processo, o que pode resultar na condenação e na aplicação de penas aos denunciados.

Receba notícias de NÁUTICA no WhatsApp. Inscreva-se!

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A edição deste mês já está disponível nas bancas, no nosso app
e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Saiba como seu barco pode ajudar moradores do Rio Grande do Sul

    Grupo Náutica uniu forças com a CUFA para apoiar o estado atingido por enchentes; instituição busca pequenos barcos para o transporte de doações

    Sem deixar feridos, incêndio na Croácia atinge mais de 20 barcos

    Incidente ocorreu em marina na cidade de Medulin, no noroeste do país, no último dia 15

    Nova lancha da Azimut promete reduzir em até 40% as emissões de CO₂

    Batizada de Seadeck 6, embarcação foi apresentada em piscina no maior evento de design do mundo, na Itália

    EUA enviam ao Rio de Janeiro porta-aviões gigante de 333 metros; entenda

    USS George Washington atracou no Brasil como parte da operação Southern Seas, que visa incentivar a cooperação entre os países

    Em fase final de testes, Aquabus de Ilhabela transportaram 1,5 mil pessoas no fim de semana

    Novo sistema de transporte aquaviário contará com três catamarãs e capacidade para 60 pessoas em cada viagem; data de inauguração ainda não foi divulgada