Organização holandesa anuncia parceria para limpar os rios mais poluídos do mundo. Entenda

Por: Redação -
06/01/2021
Imagem: reprodução/NauticExpo

A The Ocean Cleanup, uma organização sem fins lucrativos que desenvolve tecnologias avançadas para livrar os oceanos do plástico, anunciou no final de 2020 uma parceria com a Konecranes (empresa finlandesa de engenharia e serviços) para projetar e fabricar o Interceptor em larga escala.

Inscreva-se no canal de NÁUTICA no YouTube e ATIVE as notificações

Trata-se de um “robô” movido a energia solar (com a carcaça parecida com um catamarã) projetado para extrair plásticos dos rios antes que flutuem até o oceano. A necessidade da implantação do Interceptor em larga escala se deve a mentalidade da ação: enfrentar e limpar os rios mais poluídos do mundo.

Imagem: reprodução/NauticExpo

Tecnicamente, o Interceptor possui uma barreira flutuante que leva o lixo para o sistema criado pela Ocean Cleanup. Lá, um dispositivo está posicionado onde a maior quantidade de plástico flui (na superfície dos rios), e um outro dispositivo pode ser colocado mais abaixo para coletar o lixo que escapa dessa primeira barreira.

Segundo a organização em um dia comum, é possível extrair até 50 toneladas de lixo. Dependendo das correntes, das marés e da quantidade de plástico em um determinado rio, a Ocean Cleanup estima que até mil toneladas podem ser coletadas.

Imagem: reprodução/The Ocean Cleanup

Leia mais:

>> Mergulhador dinamarquês bate recorde em mergulho livre no México. Confira

>> Casal britânico processa estaleiro dinamarquês por mau cheiro em seu veleiro. Entenda

>> Brasileiro constrói veleiro com filmes solares nas laterais do casco para viajar o Atlântico

Visando as bases para o aumento da escala global, os Interceptores 005 e 006 estão sendo fabricados simultaneamente nas instalações da Konecranes em Klang, na Malásia, e devem ser concluídos até maio desse ano. Além disso, a Konecranes cuidará da fabricação, instalação e manutenção do Interceptor.

O Ocean Cleanup’s Interceptor foi revelado no final de 2019 e atualmente há três implantados em Klang, na Malásia; Jakarta, na Indonésia; e em Santo Domingo, na República Dominicana. Um quarto Interceptor, no Vietnã, teve sua implantação adiada e deve ser lançado ainda nesse mês, segundo a organização. Aos poucos, mais unidades serão lançadas em todos os continentes.

Por Gustavo Baldassare sob supervisão da jornalista Maristella Pereira

Gostou desse artigo? Clique aqui para assinar o nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp e receba mais conteúdos.

 

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Mestre em Mecânica, Ricardo Paragon ensina a evitar panes no mar no NÁUTICA Talks

    Empresário e técnico premiado compartilhará dicas importantes durante o Rio Boat Show 2024

    Marinha anuncia regras para barcos durante show da Madonna, no Rio

    Área delimitada para o evento só aceitará embarcações identificadas, vistoriadas previamente e que respeitem os limites de lotação

    Hélio Magalhães divide décadas de experiência como velejador no NÁUTICA Talks

    Com 45 anos de mar e mais de 200 milhas náuticas navegadas, palestrante compartilhará ensinamentos no Rio Boat Show 2024

    Na Holanda, live permite acionar "campainha de peixes" para liberar passagem de animais por eclusa

    Transmissão ao vivo mostra quando um peixe aguarda passagem; espectadores avisam operadores ao "tocar campainha"

    Renault apresenta veleiro desmontável, jet elétrico e prancha motorizada

    Marca francesa propõe novas soluções de mobilidade e mostrou inovações durante lançamento de carro elétrico