Projeto de veleiro de 141 metros parado há 11 anos tem promessas inovadoras

O modelo foi anunciado em 2010 e aguarda um novo proprietário para que sua construção seja concluída

Por: Redação -
30/11/2022

Anunciado pela primeira vez em 2010, o veleiro Dream Symphony, com 141 metros e totalmente em madeira, foi revelado com uma série de promessas inovadoras.

Com quatro mastros e equipado com uma escuna, o modelo que está em construção no estaleiro Dream Ship Victory, em Bozburun, na Turquia, será um dos maiores veleiros do mundo quando lançado, atrás do Iate A.

O órgão internacional RINA nunca havia certificado nenhuma estrutura de madeira com mais de 30 metros de comprimento, mas ficou satisfeito com o resultado de uma pesquisa científica envolvendo especialistas da área, e a construção começou, de fato, em 2011.

 

Desde então, o progresso do projeto estagnou e, agora, a empresa Burgess Yachts está procurando um novo proprietário para concluir o iate.

Projetado por Dykstra Naval Architects e Ken Freivokh — que também trabalharam no Black Pearl (de 106 metros) e no Maltese Falcon (de 88 metros) –, o veleiro inclui características como ser renovável e reciclável, segundo a Burgess Yachts.

 

De acordo com Freivokh, o conceito original previa “uma escuna muito tradicional em termos de mastreação”, mas com o layout do interior menos convencional.

Na verdade, o conceito de interior foi quase totalmente criado em torno de camarotes muito privativos.

 

Dividido em dois níveis com um átrio e uma escada em espiral, conta com uma área especial com quarto, banheiro e lounge privativo no convés inferior, enquanto um salão adjacente e um escritório ficam acima, no convés principal.

“O proprietário tem quase toda a seção traseira para si”, diz Freivokh. O restante da acomodação fica no convés inferior e acomoda 16 pessoas em oito camarotes, divididos como: dois VIPs, três duplos, um de solteiro e dois conversíveis.

 

O iate possui um jardim de inverno conversível, localizado entre os aposentos do proprietário e o saguão principal, que pode ser fechado com o “toque de um botão”, de acordo com Freivokh.

Áreas como essa foram fundamentais para o briefing do proprietário de ter “a sensação de estar fora enquanto está dentro”.

 

O veleiro conta com uma piscina no convés de popa, completa com fundo ascendente que se transforma em pista de dança ou heliporto.

A extensa lista de comodidades também inclui salas de reuniões e um amplo spa, com salões de beleza e manicure, sala de massagens e academia.

 

Embora a construção esteja paralisada há algum tempo, Freivokh relata que o casco agora está “praticamente completo”.

 

Também não foi completamente desativado. “Eles estão mantendo em muito bom estado”, acrescenta.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    EUA enviam ao Rio de Janeiro porta-aviões gigante de 333 metros; entenda

    USS George Washington atracou no Brasil como parte da operação Southern Seas, que visa incentivar a cooperação entre os países

    Em fase final de testes, Aquabus de Ilhabela transportaram 1,5 mil pessoas no fim de semana

    Novo sistema de transporte aquaviário contará com três catamarãs e capacidade para 60 pessoas em cada viagem; data de inauguração ainda não foi divulgada

    Italiana Rossinavi lança catamarã híbrido-elétrico de 43 metros

    Modelo nasce como “projeto mais inovador” do estaleiro, com tecnologias sustentáveis e até uso de Inteligência Artificial

    Schaefer Yachts anuncia barco que não afunda, ideal para resgates em alto-mar

    Com o nome de Interceptor 48 Pilot, novidade é fruto de parceria com a empresa irlandesa Safehaven Marine

    Criatura de 18 metros está impactando a cadeia alimentar da vida marinha; entenda

    Gelatinoso e transparente, os "picles do mares" causam perturbações no ecossistema durante as ondas de calor oceânicas e preocupam cientistas