Recordista de travessia do Atlântico morre aos 88 anos no Reino Unido

Por: Redação -
07/06/2021

O experiente navegador, marinheiro e jornalista Dag Pike, que escreveu para jornais e revistas do mundo náutico durante décadas, faleceu no último dia 29, aos 88 anos. Com mais de 65 anos de experiência em embarcações e autor de mais de 40 livros náuticos, Dag Pike foi um dos marinheiros mais respeitados do Reino Unido.

Inscreva-se no canal de NÁUTICA no YouTube e ATIVE as notificações

Também conhecido por quebrar o recorde de travessia do Atlântico no Virgin Atlantic Challenger II, em 1986, anteriormente de 3 dias, 10 horas e 40 minutos (estabelecido em 1952).

Para isso, Dag realizou várias tentativas até chegar ao recorde. Antes do sucesso de 1986, inclusive, houve uma tentativa fracassada, em 1985, em que o navegador viu o Virgin Atlantic Challenger I afundar a poucas horas da linha de chegada, já no Farol de Bishop Rock, nas ilhas de Scilly.

Nascido em Bristol, no Reino Unido, Dag Pike foi para o mar aos 16 anos em navios destinados ao transporte exclusivo de mercadoria de baixo valor. Os porões desses navios, além de não terem divisões, são providos de cantos arredondados para facilitar a estiva da carga. Dois anos depois de iniciar a vida náutica, Pike sofreu seu primeiro naufrágio na costa oeste da Escócia, a bordo de um navio de carga de 6 mil toneladas.

Neste fatídico dia, a tripulação perdeu o farol Skerryvore vital e acabou nas rochas entre Tiree e Coll. No total, ele foi resgatado do mar 13 vezes — incluindo durante outra tentativa de recorde no Atlântico em 1989 a bordo do catamarã Chaffoteaux Challenger, de Peter Phillips.

dag pike
Dag Pike (segundo da direita) com a tripulação do Chaffoteaux Challenger em Nova York.

“Não é uma coisa da qual me orgulho particularmente, mas quando você tenta ultrapassar os limites do que parece possível, você não sabe onde estão os limites até encontrá-los. Quando fui para o mar pela primeira vez em 1950, a navegação ainda era básica e os riscos eram consideravelmente maiores. No entanto, ainda estou vivo depois de ser resgatado 13 vezes, então devo estar fazendo algo certo ‘, Dag comentou certa vez sobre seus resgates.

Aos 21 anos já havia circunavegado o mundo várias vezes na Marinha Mercante. Aos 29, ele era o mais jovem capitão do farol da Trinity House antes de se tornar um inspetor de barcos salva-vidas para a RNLI.

Leia também

» Maior navio da Marinha iraniana naufraga após pegar fogo no Golfo de Omã

» Azimut Yachts marca presença na edição 2021 de salão náutico em Veneza

» Grupo europeu Overmarine apresenta segundo modelo da nova série Mangusta Maxi Open REV

Em 1992, Dag Pike concluiu o projeto Destriero, cruzando o Oceano Atlântico a bordo do iate a motor de 220 pés em um tempo recorde de 58 horas, 34 minutos e 5 segundos, a uma velocidade média de 53,09 nós.

dag pike
Aos 75 anos, Dag Pike fazia parte da tripulação do Blue FPT, que venceu o Round Britain Offshore Powerboat Championship de 2008.

Como se todos esses títulos não fossem suficiente, o marinheiro ainda ganhou inúmeros campeonatos de barcos a motor ao longo de sua vida. Já aos 75 anos, Dag Pike participou e venceu o World Offshore Powerboat Championship de 2008, competindo no Blue FPT de bandeira grega.

Um autor talentoso, o primeiro livro publicado ao longo da extensa carreira foi o Powerboats in Rough Seas, lançado em 1974. Os mais de 40 títulos já escritos por Pike iam desde a navegação e desastres no mar a análises meteorológicas e guias de cruzeiro.

Por Naíza Ximenes, sob supervisão da jornalista Maristella Pereira.

Não perca nada! Clique aqui para receber notícias do mundo náutico no seu WhatsApp.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Peixe-lua encontrado em praia dos EUA pode ser o maior já registrado na história

    Espécie rara de 2,2 metros foi encontrada já sem vida na cidade de Gearhart, no estado de Oregon

    Linda e precária: ilha no Caribe Colombiano é a mais densamente povoada do mundo

    Com 10 mil m² de área, Santa Cruz del Islote tem apenas 825 habitantes e sofre com turismo predatório

    Ilhabela deve ganhar 1ª usina de dessalinização de água de São Paulo em 2026

    Projeto prevê aumento de 22% no volume de água tratada no município, atendendo mais de 8 mil pessoas

    Descanso sobre as águas: hospedagem em barcos atracados é opção de lazer no litoral brasileiro

    Ideia dispensa a necessidade de carteira náutica e traz valores acessíveis para uma experiência pra lá de diferente

    Falkirk Wheel: conheça o elevador gigante para barcos que virou ponto turístico

    Construção na Escócia foi feita para driblar desnivelamento maior que um prédio de dez andares