Robert Scheidt retornará às competições de vela em setembro, na Alemanha

Por: Redação -
02/07/2020
Foto: Divulgação

Com a volta gradual das atividades esportivas na Europa, Robert Scheidt já tem data para o retorno às competições. O bicampeão olímpico vai disputar a tradicional Semana de Vela de Kiel, na Alemanha, entre 5 a 13 de setembro. Para isso, intensifica a preparação no Lago di Garda, na Itália, onde mora com a família. Após 20 dias de velejada solitária com seu Laser no mês de maio, revezou treinos com equipes italianas e francesas nas duas últimas semanas. E pretende repetir a dose entre julho e agosto.

“Foram dias muito produtivos e estou contente. Primeiro vieram seis velejadores italianos e depois, na segunda semana, chegaram os franceses. Treinei muito com o Jean-Baptiste Bernaz, com quem tenho uma parceira há algum tempo. Ele é hoje um dos top 5 do mundo e é muito importante ter um parâmetro para avaliar minha velejada. Encerrei essas sessões me sentindo bem fisicamente, sem lesões e andando próximo a ele. Ainda tenho pontos a evoluir, mas foi muito bacana encarar esse volume de trabalho intenso”, explica Scheidt, que vai disputar a sétima Olimpíada em Tóquio, em 2021.

Com a formação dessa pequena flotilha de elite, com dez barcos, foi possível simular regatas no Lado di Garda, com direito a marcação de raias e simulação de largadas. “Aproveitei para fazer testes de velocidade e experimentei um novo barco e novos equipamentos. Como disse, ter um cara como o Jean-Baptiste como parâmetro é importante, porque ele é muito veloz, especialmente em vento forte”, conta o maior medalhista olímpico do Brasil, com cinco pódios.

LEIA TAMBÉM
>> Teste Intermarine 62: navegamos em uma das lanchas mais desejadas do Brasil
>> 11 barcos-conceito fantásticos que podem ir para as águas nos próximos anos
>> Navegador argentino cruza o Atlântico para ver seus pais em meio à pandemia

A Semana de Kiel vai ser o primeiro grande evento de vela após a quarentena em função do novo coronavírus. Por isso, além da tradição do campeonato, a expectativa é para uma disputa de alto nível. “Eles restringiram as inscrições para 70 barcos e vi pelo menos 20 velejadores top na lista. Acredito que a tendência é abrir para novos atletas, o que vai deixar a disputa mais forte ainda. Estou bem animado com a possibilidade de competir em alto nível ainda nesse ano, depois de tudo o que aconteceu. Espero condições duras e muito frio no norte da Alemanha em setembro, mas vamos que vamos”, completa Robert, que deve chegar em Kiel poucos dias antes da estreia da classe Laser, que será disputada entre os dias 10 e 13.

Evento centenário da vela, a Semana de Kiel ocorre, normalmente, na última semana de junho, em pleno verão europeu. Como promove disputas de classes olímpicas e não olímpicas, costuma reunir cerca de dois mil barcos e cinco mil velejadores. Robert tem três títulos de Laser e dois de Star (sendo um europeu disputado na cidade) em Kiel. Além das regatas na Alemanha, a programação do bicampeonato olímpico para 2020 inclui a disputa do Campeonato Europeu de Laser, programado para o mês de outubro, em Atenas, na Grécia, mas que ainda precisa de confirmação de datas.

Gostou desse artigo? Clique aqui para assinar o nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp e receba mais conteúdos.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Brasília Boat Show transformará a capital do país no epicentro do mercado náutico

    Primeira edição do salão no Centro-Oeste acontece de 14 a 18 de agosto, nas águas do Lago Paranoá; garanta seu ingresso!

    NX Boats desembarca nos EUA com sua maior lancha, a NX 50 Invictus

    Modelo de 50 pés com hardtop estreou recentemente em águas norte-americanas; estaleiro descreveu momento como “histórico”

    Professor larga tudo para dar volta ao mundo em veleiro de 8 metros

    Pelas redes sociais, Luke Hartley compartilha suas aventuras a bordo de uma 27 pés de 1976

    Mestra Boats exibirá grandes sucessos de 29 a 35 pés no Brasília Boat Show

    Estaleiro disponibilizará aos visitantes do evento náutico a Mestra 352 HT, seu maior modelo, e outros dois barcos bem resolvidos; confira

    No século 17, maior navio do mundo foi construído no Brasil e batizou o Aeroporto do Galeão

    Embarcação de guerra foi construída a pedido da coroa portuguesa, que buscava recuperar terras perdidas para a Espanha