Teste jet Sea-Doo GTI 130 2020: ótimo para quem está começando

19/12/2019

O grande diferencial do jet GTI 130, da linha 2020, está no casco, que ficou maior, especialmente na plataforma de popa, cuja área cresceu 36% em relação aos jets da geração anterior.

É tanto espaço que dá até para levar alguns equipamentos na garupa, como por exemplo um tanque auxiliar de 15 litros; ou uma caixa térmica ou cooler; uma bolsa; ou ainda uma torre retrátil de esqui, entre outros acessórios que podem ser fixados na popa por meio de um sistema de engate rápido.

Antes de acelerar o jet de entrada da linha GTI da Sea-Doo, testamos esse engate, que tem dois pontos de fixação integrados, e aprovamos. Esse recurso é muito prático, tanto para fixar como para tirar os acessórios — basta acionar ou soltar uma trava, e pronto.

Da popa para a proa, outro detalhe que chama atenção é o compartimento frontal, que agora tem capacidade de 152 litros (44 litros a mais que o da versão anterior), espaço suficiente para armazenar muitos equipamentos. Gostamos também do novo porta-luvas (com espaço indicado para guardar carteiras, óculos, protetor solar, etc.) e, especialmente, do porta-trecos, que, revestido de espuma, se transforma em um berço impermeável (quer dizer, à prova d’água) e resistente a impactos, indicado para proteger o celular durante os passeios. E ainda há uma porta usb integrado ao porta-luvas.

Hora de acelerar a máquina. Ao embarcar no GTI 130, dá para sentir a aplicação dos princípios ergonômicos. O assento de três lugares com lugar para encaixar as pernas do piloto permite uma condução mais prazerosa. Isto é, a gente se encaixa bem nesse jet. Mérito do sistema ErgoLock, exclusivo da Sea-Doo, que equipa todos os jets da linha GTI. De alguma forma, você veste o jet, ou vice-versa: o jet veste você.

Agora, sim, vamos prender o corta-circuito no colete e sentir como o GTI 130 se comporta na navegação. O teste foi feito nas águas lisas e tranquilas da represa de Bragança Paulista, com ventos na casa dos 15 nós. Por conta do centro de gravidade mais baixo, a expectativa é de que o jet esteja mais fácil e divertido de pilotar. Dada a partida, vem a confirmação.

O GTI 130 é um jet ágil, bem agradável de pilotar. O motor, de 130 hp, não faz feio. Pelo contrário. A velocidade máxima foi de 48,3 mph (42 nós) — quase 80 km/h na água. Os pontos fortes: a estabilidade do casco (apesar de esse jet não oferecer recurso de regulagem do trim), o baixo nível de ruído e o consumo (navegamos por mais de duas horas e não consumimos nem metade do tanque), em virtude do bom conjunto casco e motor.

Os comandos, no guidão, são bem simples. Com ambas as mãos no guidão, o piloto pode engatar à frente, neutro e reverso para fazer as manobras. O GTI 130 tem um sistema de freio muito prático, chamado iBR, que permite reduzir rapidamente a velocidade da moto aquática. Acionada a tecla freio, com a mão esquerda, um comando eletrônico imediatamente corta o acelerador e liga um motorzinho elétrico na popa, que, por sua vez, aciona uma grande tampa de reverso na saída da bomba d’água, freando o jet rapidamente. A reação é instantânea: o jet freia forte, porém sem perder o rumo e dando uma gostosa sensação de segurança. E ele só retoma a marcha quando o acelerador é novamente pressionado.

Tudo isso faz uma grande diferença na pilotagem de um jet que custa 20% menos que o Sea-Doo Wake 170 e que também pode ser usado para puxar esqui. Em resumo, o jet de entrada da linha GTI da Sea-Doo chegou bonito e com muitos pontos altos, a começar pela estabilidade do casco.

Características técnicas

Velocidade máxima: 48,3 mph (42 nós)
Capacidade: três pessoas (272 kg)
Comprimento: 336,6 cm
Boca: 125 cm
Peso: 335 kg
Combustível: 60 litros
Compartimento frontal: 152 litros
Motor: Rotax 1630 ACE
Potência:
130 hp (hidrojato)
Cilindrada: 1630 cc
Funções do painel: Velocímetro, RPM, Relógio, Horímetro, Modo Sport, Modo ECO.
Recursos: assento bi-partido (2 peças), alça de assento, gancho para reboque, compartimento estanque para celular, sistema de engate LinQ, sistema de áudio Bluetooth (opcional), espelhos grande-angulares, guidão com descanso para as mãos, ampla plataforma de mergulho e casco Polytec GEN 2. Mais informações, clique aqui.
Preço: a partir de R$ 61,9 mil

Mais detalhes do Sea-Doo GTI 130 2020

 

Receba notícias de NÁUTICA no WhatsApp. Inscreva-se!

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A edição deste mês já está disponível nas bancas, no nosso app
e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Fountaine Pajot leva catamarã de 16 metros ao Rio Boat Show 2024

    Aura 51 é o maior catamarã a vela sem flybridge do estaleiro francês e estará no evento náutico de 28 de abril a 5 de maio

    No NÁUTICA Talks, Elio Crapun palestra sobre revolução dos hidrofólios nas embarcações

    Velejador abordará detalhes sobre realidade e avanços de barcos que navegam sobre fólios durante o Rio Boat Show 2024

    Casarini Boats levará mistura de bote com jet ao Rio Boat Show 2024

    Embarcação inovadora será um dos destaques do evento que acontece de 28 de abril a 5 de maio, na Marina da Glória

    No NÁUTICA Talks, Paula Vianna mergulha nos desafios da fotografia subaquática

    Vencedora de concursos internacionais, fotógrafa é presença confirmada no Rio Boat Show 2024

    Série de NÁUTICA com família a bordo de barco centenário já tem data de estreia

    Com 10 episódios, “A Europa como você nunca viu” acompanhará um casal, uma criança e um cachorro pelos canais dos Países Baixos