Titanic brasileiro

Por: Redação -
30/03/2016

Era sábado de carnaval. Para descontrair os passageiros naquela longa travessia, que já durava 17 dias, um baile a bordo foi organizado. A festa se estendeu até as primeiras horas da madrugada de domingo, 5 de março de 1916, quando, então, todos se recolheram aos seus camarotes, animados com a iminente chegada ao porto de Santos, prevista para as primeiras horas da manhã seguinte. Mas o transatlântico espanhol Príncipe de Astúrias jamais chegou lá. Um par de horas após o fim do baile, a viagem daqueles infelizes ocupantes do navio (cujo número exato jamais foi sabido, pois é certo que havia imigrantes clandestinos a bordo), acabou abruptamente numa laje submersa da ponta da Pirabura, na parte de fora de Ilhabela, no litoral de São Paulo.

A pedra rasgou o casco feito uma faca afiada, e o grande vapor, então orgulho da Espanha, foi para o fundo em pouco mais de cinco minutos, apesar dos seus 151 metros de comprimento. Oficialmente, morreram (afogados ou arremessados pelas ondas de encontro às pedras da costeira da ilha), 443 dos 588 passageiros e tripulantes que havia a bordo. Mas é certo que foram mais, talvez bem mais, por conta dos clandestinos não contabilizados pela empresa dona do navio. Foi a maior tragédia nas águas do Brasil em todos os tempos. Uma espécie de Titanic brasileiro, que, neste mês de março, completa exatos 100 anos. Ainda envolta em dúvidas não explicadas.

Foto: Reprodução

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Procurando um terreno? Ilha intocada na Patagônia Chilena está à venda

    Local tem cerca de 445 km², mais de 80 lagos, a Cordilheira dos Andes de fundo e custa aproximadamente R$ 173,6 milhões

    1ª embarcação capaz de produzir seu próprio hidrogênio está prestes a finalizar volta ao mundo

    Boberto por 202 m² de painéis solares, barco percorreu quase 63.040 milhas náuticas apenas com energias renováveis

    Expedição realizada no Chile pode ter descoberto mais de 100 novas espécies marinhas

    Biólogos do Censo Marinho têm o objetivo de descobrir 100 mil novos seres do mar nos próximos 10 anos

    Casal troca apartamento para viver em veleiro com seis gatos

    Embora a rotina de manutenção do catamarã seja dura e exigente, Aline e José garante que vale a pena

    Novo submarino Tonelero será lançado ao mar no fim de março, no Rio de Janeiro

    Embarcação militar de 71,6 metros é oriunda do Programa de Desenvolvimento de Submarinos, selado entre Brasil e França