Uma nova Marina da Glória

Por: Redação -
08/02/2015

As obras de revitalização da Marina da Glória, realizadas pelo grupo BR Marinas, seguem seu cronograma e continuam despertando o interesse da sociedade. Dentre as mudanças, o espaço que conta hoje com 167 vagas para barcos dentro da água e 73 vagas secas, passará para 415 e 240 vagas, respectivamente. O número de lojas também sofrerá mudanças, sendo reduzido de 40 para 24.

Em fevereiro, as obras se concentram nas escavações da área onde vai funcionar o futuro estacionamento de automóveis (510 vagas) da nova marina e no local onde serão instalados os hangares para vagas secas de embarcações. A opção por um estacionamento com dois andares foi tomada para que a atual área destinada a carros fosse diminuída, abrindo espaço para embarcações e mais verde.

Para que a obra fosse realizada – serão 236 vagas subterrâneas – a BR Marinas realizou um estudo ambiental, feito pela empresa BioVert, em que foram catalogadas 479 árvores e arbustos no terreno da Marina da Glória. Deste montante, foram necessárias 298 remoções, autorizadas pelos órgãos competentes. Como compensação, o grupo BR Marinas financiará o plantio de 3 082 novas mudas, em local determinado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Além do replantio e da contratação da BioVert, a BR Marinas contratou o escritório Burle Marx, responsável pelo projeto original do Parque do Flamengo, para fazer todo o paissagismo da nova Marina e do seu entorno – o grupo vai doar para a Prefeitura um projeto de recuperação de áreas que não fazem parte da concessão, como o parque dos piquiniques. Após o fim das obras, a Marina da Glória ampliará suas áreas abertas ao público e estará totalmente integrada ao Parque do Flamengo.

Orçado em R$ 60 milhões e totalmente custeado pela BR Marinas, responsável por outras quatro Marinas em funcionamento e duas em construção no país, o projeto é assinado pelo arquiteto Eduardo Mondolfo, que já trabalhou com Oscar Niemeyer (1907-2012) e é autor de prédios conhecidos, como o do Shopping Leblon e o Hotel Fasano.

Outro ponto em destaque para o melhor atendimento do setor náutico é em relação ao sistema de movimentação de embarcações em vagas secas e molhadas. Antes do início das obras, a Marina da Glória operava com trator e carreta para a movimentação das embarcações hospedadas. Porém, ao fim da revitalização, a operação passará a ser feita por empilhadeiras especificamente projetadas para esse fim (forklifts), que dispensam o uso de carretas, pois as embarcações são colocadas em berços universais. Essa qualificação no padrão operacional deixa o serviço muito mais seguro e eficiente, da mesma forma que é executado nas outras marinas do grupo (Verolme, Piratas, Ribeira e Bracuhy).

Imagem: BR Marinas/Divulgação

 

Curta a revista Náutica no Facebook e fique por dentro de tudo que acontece no mundo náutico.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Com propulsão eólica, Airbus terá frotas marítimas contra emissões de dióxido de carbono

    Gigante da indústria aeroespacial terá velas rotativas e motores biocombustíveis; entenda

    Vila flutuante nas Maldivas promete ser o mais novo "point" dos milionários

    Projeto da rede de hotéis de luxo Soneva traz uma série de comodidades luxuosas com diárias a partir de R$ 25,6 mil

    São Paulo inaugura estruturas náuticas de uso público para alavancar turismo

    Municípios de Pereira Barreto, Três Fronteiras e Rubinéia deram início à primeira fase do Programa de Turismo Náutico

    Nada de bingo! Aos 81 anos, velejadora aposentada bate recordes navegando sozinha

    Mesmo aposentada, Jeanne Socrates já realizou voltas ao mundo num veleiro, e totalmente solitária

    Solara Boat House fará sua estreia nas águas durante o Rio Boat Show 2024

    Estaleiro terá ainda 3 lançamentos e outros 6 barcos no evento que acontece de 28 de abril a 5 de maio, na Marina da Glória