Vela no México

Por: Redação -
16/05/2016

 

Robert Scheidt ganhou mais duas posições na classificação geral do Campeonato Mundial da Classe Laser, disputado em Puerto Vallarta, no México. Com um quinto e um sétimo lugares nas regatas deste domingo, 15, ele saltou de quinto para o terceiro e entra na reta final da competição, a partir desta segunda-feira, 16, entre os favoritos ao título. Se conseguir, será o 12º da sua carreira.

Scheidt conhece bem as dificuldades para chegar ao título, mas está confiante. “Agora começa a flotilha ouro, com mais seis regatas. Vai ser muito diferente do que enfrentamos até agora, porque os melhores estarão todos juntos. A largada vai ser muito importante, pois serão provas mais compactas e provavelmente o score será mais alto, afinal os bons estarão juntos. É praticamente uma nova competição”, afirmou o bicampeão olímpico.

Com o resultado deste domingo, o dono de cinco medalhas olímpicas está a 17 pontos do líder Nick Thompson (tem 33 pontos perdidos e o britânico tem 16). Já a diferença para o vice-líder, o francês Jean-Baptiste Bernaz, é de 12 pontos. “Felizmente consegui descartar a bandeira preta da estreia (foi punido por largar escapado) e tenho direito a mais um descarte. Esse é o lado positivo de ter terminado a série sem nenhuma regata ruim. Agora e ir com tudo para essa fase final”, explicou.

Para seguir entre os líderes na flotilha ouro, Scheidt quer velejar de forma cada vez mais consistente e sabe que precisa melhorar as largadas. Nas regatas deste domingo, o brasileiro voltou a se superar. “Basicamente, este domingo foi mais um dia em que fiz regatas de recuperação. Estou pecando um pouco no início, mas estou com velocidade muito boa e conseguindo recuperar posição ao longo das provas. Na segunda regata, infelizmente, recebi uma penalização do júri pela regra 42, que é bombear, e com isso perdi uma posição para o australiano Tom Burton no final. Foi bem decepcionante, mas vamos em frente”, completou.

A fase classificatória do Mundial reuniu 112 velejadores e em função do grande número de barcos, a comissão organizadora dividiu a disputa em duas flotilhas, cada uma com 56 atletas cada. Outros dois brasileiros disputam a competição: Bruno Fontes está em 21º, com 86 pontos perdidos, e Lucas de Bueno em 106º, com 354 pontos. Nesta segunda, 16, o Campeonato Mundial prossegue com mais duas provas. Até quarta-feira, 18, estão previstas 14 regatas.

Foto: Divulgação

Assine a revista NÁUTICA: www.shoppingnautica.com.br

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Fountaine Pajot leva catamarã de 16 metros ao Rio Boat Show 2024

    Aura 51 é o maior catamarã a vela sem flybridge do estaleiro francês e estará no evento náutico de 28 de abril a 5 de maio

    No NÁUTICA Talks, Elio Crapun palestra sobre revolução dos hidrofólios nas embarcações

    Velejador abordará detalhes sobre realidade e avanços de barcos que navegam sobre fólios durante o Rio Boat Show 2024

    Casarini Boats levará mistura de bote com jet ao Rio Boat Show 2024

    Embarcação inovadora será um dos destaques do evento que acontece de 28 de abril a 5 de maio, na Marina da Glória

    No NÁUTICA Talks, Paula Vianna mergulha nos desafios da fotografia subaquática

    Vencedora de concursos internacionais, fotógrafa é presença confirmada no Rio Boat Show 2024

    Série de NÁUTICA com família a bordo de barco centenário já tem data de estreia

    Com 10 episódios, “A Europa como você nunca viu” acompanhará um casal, uma criança e um cachorro pelos canais dos Países Baixos