Boom de embarcações gera desafios no sudoeste da Flórida

Por: Redação -
29/05/2021

Mesmo no sul da Flórida, onde andar de barco costuma ser um prazer o ano todo, a crescente demanda por qualquer coisa que flutue continua a ser manchete.

A afiliada de Fort Meyers da ABC, uma das maiores redes nacionais de transmissão dos Estados Unidos, apresentou um relatório detalhando os desafios específicos de um mercado que está lutando para atender a essa demanda que se aproxima do verão deste ano.

Com um aumento de 21% de 2019 a 2020, a Flórida ocupa o primeiro lugar nos EUA em vendas de barcos e representou 13% de todas as vendas em todo o país no ano passado. Mas a popularidade vem com algumas dores de cabeça – escassez de produtos, espaço nas docas, compromissos de serviço e reservas em locais populares como restaurantes à beira-mar.

Como observa o relatório, o sudoeste da Flórida é uma das capitais da navegação recreativa dos Estados Unidos, empregando diretamente mais de 7 mil pessoas e gerando mais de US $ 877 milhões anualmente. Mas a região não ficou imune à onda de interesse de novos velejadores.

“Nossos revendedores de barcos estão experimentando o que muitos nunca experimentaram antes”, disse Hans Wilson, presidente da associação de barcos do sudoeste da Flórida, em sua entrevista ao ABC Fort Meyers. “Os barcos não estão vindo rápido o suficiente”.

“Os negócios aumentaram significativamente”, concordou Ryan West, gerente geral da MarineMax Fort Myers no mesmo relatório. “Nossa empresa teve o melhor primeiro semestre do ano que já tivemos em nossos 22 anos de história”.

No sudoeste da Flórida, uma em cada seis famílias tem um barco, tornando a Flórida o número 1 per capita em termos de propriedade de barcos, e a pandemia de Covid-19 aumentou o interesse na área.

Mas, devido ao tamanho excessivo da demanda, os compradores agora podem esperar até seis meses para comprar uma embarcação de comprimento médio – e vários anos se quiserem um maior, de 35 pés ou mais, dizem os comerciantes locais. “É a primeira vez na minha carreira que vejo isso. O valor dos barcos usados ​​nos últimos 12 meses, na verdade, subiu, o que é extremamente incomum ”, disse West.

Leia também

» Conheça a misteriosa “cidade” submarina encontrada a 25 metros de profundidade no Japão

» Esqueleto gigante ressurge sob areia de praia no litoral sul de São Paulo

» O peixe-leão e a ameaça que representa: conheça o terror dos biólogos brasileiros

“O crescimento foi quase o dobro do que foi em todo o país”, concordou Wilson durante o relatório. “Muito disso tem a ver com a mudança de novas pessoas de outras cidades para nossa área”.

A maioria das marinas e depósitos estão cheios. Suas listas de espera podem se estender por meses, até anos, observou o relatório. E os preços da doca “estão subindo como a maré”.

“É responsabilidade de nossos governos locais reconhecer a demanda e reconhecer que não é apenas uma bolha da Covid-19, mas uma demanda contínua do aumento da população”, enfatizou Wilson. “A demanda para a compra de barcos pode diminuir porque as pessoas não terão onde colocá-los”, acrescentou. “É algo que deve ser abordado no plano de longo prazo”.

A indústria marítima de SWFL recomenda que o planejamento inclua permissões de uso expandidas, restrições de flexibilização e permissão simplificada para o desenvolvimento da orla marítima. É uma mudança, afirmam, que pode ser feita ao mesmo tempo que protege o frágil ambiente marinho.

Enquanto isso, a falta de barcos e de espaço nas docas é um problema que provavelmente surgirá em outros mercados populares, onde a demanda por barcos pegou todos desprevenidos. E, com sorte, um problema que não assustará a legião de novos navegadores antes que a indústria apresente soluções.

Não perca nada! Clique aqui para receber notícias do mundo náutico no seu WhatsApp.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Peixe-lua encontrado em praia dos EUA pode ser o maior já registrado na história

    Espécie rara de 2,2 metros foi encontrada já sem vida na cidade de Gearhart, no estado de Oregon

    Linda e precária: ilha no Caribe Colombiano é a mais densamente povoada do mundo

    Com 10 mil m² de área, Santa Cruz del Islote tem apenas 825 habitantes e sofre com turismo predatório

    Ilhabela deve ganhar 1ª usina de dessalinização de água de São Paulo em 2026

    Projeto prevê aumento de 22% no volume de água tratada no município, atendendo mais de 8 mil pessoas

    Descanso sobre as águas: hospedagem em barcos atracados é opção de lazer no litoral brasileiro

    Ideia dispensa a necessidade de carteira náutica e traz valores acessíveis para uma experiência pra lá de diferente

    Falkirk Wheel: conheça o elevador gigante para barcos que virou ponto turístico

    Construção na Escócia foi feita para driblar desnivelamento maior que um prédio de dez andares