Gerente de pós-venda da Schaefer Yachts comanda entrega técnica mundo afora

Por: Redação -
18/04/2019

Ao adquirir uma embarcação nova da Schaefer Yachts, você conta com a chamada entrega técnica, na qual recebe uma série de informações sobre os recursos que a embarcação oferece e orientações sobre a melhor forma de usá-la, de modo a obter o melhor rendimento e assegurar a manutenção da garantia. Mas, e se essa entrega for no exterior, tarefa cada vez mais comum na vida da Schaefer Yachts, desde que o estaleiro catarinense passou a apostar seriamente nas exportações?

É aí que entra em ação Alberto Piazza, gerente de pós-venda da empresa, cargo que o faz se deparar com demandas variadas, especialmente a entrega técnica de barcos. “No Brasil, eu divido essa tarefa com dois colegas. Mas no exterior, quem faz a entrega sou eu”, conta Alberto, que já perdeu a conta do número de países que visitou nos últimos anos e quantos carimbos tem no seu passaporte.

Entrega técnica é o dia da noiva. Nada pode dar errado. O barco precisa estar 100% impecável

“Já fiz entregas na Jordânia e fui pelo menos cinco vezes à África, especialmente em Angola; sem falar de minhas idas a Miami, para onde já exportamos os modelos 30, 36, 51, 58 e 64 pés”, lista Alberto, de 48 anos, que está na Schaefer há 14 anos. “Nossos barcos fazem muito sucesso em lugares ensolarados, por conta da oferta de espaços abertos”, justifica.

LEIA TAMBÉM
>>Grupo Ferretti apresenta resultados financeiros de 2018
>>Ventura V300: proa aberta ou fechada? Qual você prefere?
>>Sessa Day Sunset agita Angra dos Reis no próximo fim de semana

Suas últimas missões? “Recentemente, fui entregar uma 40 pés em Nova Iorque. Desci durante três horas de Manhattan a South Toms River. E já estou com passagens compradas para o salão náutico de Fort Lauderdale, que começa em 30 de outubro”, revela Alberto, que além de fazer entregas técnicas no exterior gerencia as três bases técnicas do estaleiro no Brasil: uma em Florianópolis, em Santa Catarina, outra no Guarujá, em São Paulo, e a terceira em Angra dos Reis, no Rio.

Referenciado pela extrema dedicação ao trabalho, e por ser capacitado para isso, ele recorre a uma metáfora para explicar o conceito de entrega técnica: “É o dia da noiva. Nada pode dar errado. O barco tem de estar impecável, da montagem dos motores aos eletrônicos”. Nem é preciso dizer que ele cuida de cada detalhe para isso. E eleva sua função a outro nível.

Receba notícias de NÁUTICA no WhatsApp. Inscreva-se!

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A edição deste mês já está disponível nas bancas, no nosso app
e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Teste Solara 380 Bowrider: lancha encanta com amplos espaços e boa navegabilidade

    Muito agradável para uso externo, a nova embarcação tem aberturas laterais na popa, solário triplo e cockpit espaçoso

    Novo jet elétrico do Batman traz ficção à vida real em embarcação de luxo limitada

    Batizado de Maverick GT Stormy Knight, 27 unidades do jet serão comercializadas pela própria Wayne Enterprises

    Na Espanha, praia de areia preta já abrigou espiões da Guerra Fria e hoje é point de turistas

    Playa de Puerto Naos contrasta escuridão da areia com azul do mar e simpáticos prédios coloridos, além de ostentar o selo Bandeira Azul

    Dupla brasileira disputará volta ao mundo de veleiro na Globe 40

    Desafio chega à segunda edição como o mais forte em duplas dentro da modalidade

    Na popa de superiate, Bugatti atrai olhares durante GP Mônaco de Fórmula 1

    Pelo 2º ano, influenciador içou carro de luxo para dentro de embarcação -- dessa vez, uma 170 pés