Hélices

Por: Redação -
05/05/2016
boat propeller in the river

Se uma lancha navega devagar ou inadequadamente, a culpa é do motor, que não tem potência suficiente? Muitas vezes, o problema não está na cavalaria do motor e sim na maneira como ela chega à água. Ou seja, através do hélice. É ele que transforma toda a potência do motor em impulso para navegar. Sem o hélice adequado, de nada adianta ter potência de sobra no motor, porque o barco renderá mal do mesmo jeito. O hélice impacta tanto na velocidade quanto no consumo, porque permite que o motor atinja (ou não) a sua rotação máxima. Se o hélice for inadequado, forçará o motor e não permitirá que ele libere todo o torque que poderia gerar. O resultado disso será um desempenho insatisfatório e consumo maior. Ter o hélice adequado é, também, a maneira mais rápida — e barata — de melhorar o rendimento de qualquer barco a motor. E sem precisar trocar o motor. Confira algumas dúvidas mais frequentes sobre este equipamento, que é tão fundamental num barco a motor quanto os pneus em um automóvel.

1 – O que é passo?
Passo é o deslocamento, em polegadas, que um hélice gera na água — como o avanço de um parafuso ao
ser girado. Ele representa a distância teórica percorrida pelas pás, ao dar uma volta completa. Passo e diâmetro são as duas medidas básicas de qualquer hélice. O passo tem influência direta na velocidade que o hélice é capaz de imprimir à lancha. Quanto maior o passo, mais rápido será o barco. Mas sempre há uma perda de cerca de 50% de eficiência, por conta do “deslizamento” (slip) do hélice na água. Portanto, um hélice passo 14 polegadas, por exemplo, permitirá um avanço teórico de apenas 7 polegadas na água. Com o passo certo, o motor trabalha mais aliviado e gasta menos combustível.

2 – Como acertar o passo?
Se, na aceleração máxima, um motor não atingir (ou ultrapassar) a rotação máxima, é sinal que o passo do hélice está errado. Ou seja, se ele chegar ao limite de rotações sem que o acelerador esteja no máximo é sinal de que algo está errado com o passo. Giros a mais sugerem passo curto demais; giros a menos indicam passo longo além da conta. Mas acertar o passo não é nada complicado. Observe o contagiros
e acelere até o fim, com o trim regulado para a velocidade máxima e o barco com carga normal e, de preferência, tanque cheio. Se a rotação máxima ficar abaixo do indicado pelo fabricante do motor, substitua o hélice por outro de passo menor. Como regra geral, cada polegada de passo corresponde a uma rotação de 150 a 200 rpm no motor, mas, normalmente, os hélices são comercializados com
variação de duas (e não uma) polegadas. Neste caso, fique com o passo que deixar o motor mais
próximo do que ele pode render.

3 – É melhor hélice de alumínio ou de aço?
A eficiência de um hélice depende, também, muito do material do qual ele é feito. Os hélices de alumínio custam menos, são mais leves, mais baratos e usados nos motores de baixa potência. Mas, como o alumínio é um material relativamente macio, ele sofre uma deformação natural, o que provoca perda de rendimento. Por isso, só devem ser usados em motores com menos de 115 hp. Já o aço inox é bem resistente e permite pás mais finas, que “cortam” melhor a água. Por isso, hélices deste material duram mais e têm melhor desempenho. Mas são mais pesados e mais caros.

4 – O peso do hélice importa?
Sim, porque quanto mais pesado, mais o hélice exigirá do motor. E quanto mais leve ele for, mais rapidamente será atingido o planeio, situação em que todo barco navega melhor e com mais velocidade.

4 – Quantas pás? Três ou quatro?
Hélices de três pás têm a melhor relação entre tamanho, eficiência, vibração e custo. Em geral, proporcionam mais velocidade. Já hélices de quatro pás provocam menos vibração. Mas, por outro lado, têm menos eficiência. Como regra geral, hélices de três pás têm desempenho melhor em rotações médias
e altas, enquanto os de quatro pás têm mais empuxo nas baixas e médias rotações, além de menor risco de cavitação. Outro detalhe importante é a espessura das pás. Quanto mais finas, melhor elas “cortarão” a água e criarão menos arrasto.

Assine a revista NÁUTICA: www.shoppingnautica.com.br

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Concurso levará estudantes para visitar moderno navio de pesquisa da Marinha do Brasil

    Alunos de ensino superior, médio e fundamental podem participar de disputa de redação organizada pelo Centro de Excelência para o Mar Brasileiro

    Volvo Penta levará simulador de atracação virtual ao Boat Show de Itajaí

    Além da experiência imersiva, marca apresentará aos visitantes do evento náutico o sistema IPS para navegação otimizada

    Ícone da vela brasileira, Robert Scheidt lança biografia em livro

    Com noite de autógrafos do velejador, evento de lançamento será nesta quinta-feira (20), em São Paulo

    Mudanças climáticas estão afetando o tamanho das baleias-cinzentas; entenda

    Em estudo, pesquisadores afirmam redução de 13% no comprimento do animal nos últimos 25 anos

    Itajaí é polo náutico forte; conheça alguns estaleiros da região

    Das pequenas lanchas aos grandes iates, estaleiros de renome fabricam seus barcos em território itajaiense