Bilionário brasileiro Jorge Paulo Lemann é dono de superiate holandês

Iate de Lemann, Anawa é um embarcação de luxo de 62m. Site britânico revelou que brasileiro era o proprietário

05/11/2020

Jorge Paulo Lemann, além de maior acionista da Americanas, é um amante do mar. Prova disso é uma das propriedades que o bilionário possui: uma embarcação de 62 metros. Batizado de Anawa, o iate de Lemann foi construído pelo estaleiro holandês Damen Shipyards.

O bilionário era conhecido por costumar navegar sempre que possível, seja em barcos de amigos ou alugados pelo sistema de charter. Foi assim até julho de 2020, quando o iate de Lemann foi comprado.

 

A revelação de que o iate Seaxplorer 62 Anawa fazia parte dos bens de Lemann foi feita em 2020 pelo jornalista Aaron Carpenter, colunista e editor de notícias da revista de negócios Bailiwick Express, da Ilha de Guernsey, no Canal de Mancha.

“Um banqueiro de investimento brasileiro com fortuna avaliada em cerca de US$ 25 bilhões parou em Guernsey com um superiate de US$ 100 milhões, que comprou no início deste ano [2020]. O barco está ancorado em St. Peter Port Harbor”, revelou Carpenter.

 

“O Seaxplorer 62 Anawa é propriedade de Jorge Paulo Lemann, que nasceu no Brasil, mas agora reside na Suíça. (…) Ele tem uma queda por iates de luxo e acredita-se que o Anawa seja sua última aquisição”, acrescentou o jornalista.

 

Conheça o iate de Lemann

Primeiro superiate da linha Seaxplorer do grupo Damen Shipyards (que tem sede na Holanda), o iate de Lemann foi entregue na primeira semana de julho de 2020. Segundo o estaleiro, o Anawa combina o requinte de uma casa de luxo com a capacidade de exploração de barco de expedição.

 

Não faltam luxos no iate de Lemann. A embarcação conta com heliponto e hangar totalmente certificados, duas garagens e uma área de equipamentos de mergulho. Há ainda muitas instalações de armazenamento para garantir autonomia de 30 dias no mar, a uma velocidade máxima de 13,5 nós.

 

Fortuna de Lemann

Homem mais rico do Brasil, Lemann hoje figura na lista da Forbes com fortuna estimada em US$ 15,5 bilhões — o equivalente a cerca de R$ 80,2 bilhões (valores convertidos em fevereiro de 2023) — mesmo em meio à crise que a Americanas enfrenta.

 

Nascido no Rio de Janeiro, em 1939, filho de suíços, há alguns anos Lemann mudou-se com a esposa Susanna, que nasceu na Suíça, para os arredores de Zurique, onde se locomove de bicicleta nos vilarejos da região e pratica esportes aquáticos no lago Zurique.

 

Paixão de Lemann pelo mar

Muito antes de despontar na mídia como o bilionário nº 1 do Brasil, o empresário Jorge Paulo Lemann, que raramente dá entrevistas, apareceu nas páginas da revista NÁUTICA praticando seu esporte favorito: a caça submarina.

 

Foi também graças à caça submarina que Lemann se aproximou de Marcel Herrmann Telles e Carlos Alberto Sicupira, seus sócios na 3G Capital, controladora do maior conglomerado de cervejas do planeta (AB Inbev), da Americanas, da rede Burger King e da indústria alimentícia Kraft Heinz, além de companhias internacionais de ferrovias, e construção civil, por exemplo.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Fotos inéditas do Titanic prometem revelar detalhes nunca vistos dos destroços

    Expedição ao naufrágio conta com dois robôs ultra tecnológicos, que farão imagens e mapeamentos 3D no fundo do oceano

    Brasília Boat Show terá presença da NX Boats com lancha de luxo assinada pela Pininfarina

    Modelo estará nas águas do Lago Paranoá de 14 a 18 de agosto; ingressos para o salão já estão disponíveis

    Lancha resistente a fuzil é o novo reforço da Polícia Militar do Paraná; conheça o barco

    Embarcação militar Aruanã 29-CM-P atuará junto à Patrulha Costeira no combate à criminalidade e segurança de 39 comunidades

    Rei e cerveja: conheça a pequena ilha que tem ‘monarca’ próprio e pub centenário

    Pertencente à Inglaterra, Ilha de Piel é habitada há pelo menos 3 mil anos e conta com um antigo castelo

    Olimpíadas de Paris: você sabia que o surfe não será disputado na França?

    Em decisão polêmica, Comite Olímpico escolheu outro país para sediar todas as baterias do esporte; entenda