Mudanças no caminho

Por: Redação -
20/02/2015

A quarta etapa da Volvo Ocean Race continua emocionante e indefinida com a aproximação da flotilha aos Doldrums do Pacífico. A área próxima à Linha do Equador sempre é marcada por ventos indecifráveis, que invariavelmente atrapalham a ação das equipes. E não é só lá Oceania que eles existem. Nas duas primeiras pernas, as equipes tiveram que lidar com os Doldrums.

Por enquanto, o holandês Team Brunel sustenta a liderança da etapa quatro, mas a diferença que já foi superior a 100 quilômetros diminuiu. Abu Dhabi e Team Alvimedica, segundo e terceiro respectivamente, estão na cola. E ainda faltam quase 5 000 quilômetros para a perna entre a China e a Nova Zelândia terminar.

“Está tão perto, mas ainda está tão longe. Se você olhar no mapa, na hora vai pensar que a Nova Zelândia está próxima, mas na prática, vendo a quilometragem, a realidade é diferente”, escreveu Bouwe Bekking, comandante do Team Brunel. “Estamos próximos da Linha do Equador e parece ter mais vento. Vamos aproveitar todas as brechas”. Distinguir as nuvens mais favoráveis ​​é um trabalho qualificado e todos os seis navegadores serão testados literalmente nos próximos dias.

O Mapfre, barco espanhol com o brasileiro André ‘Bochecha’ Fonseca, está em quarto provisoriamente, seguido por Team SCA e Dongfeng fechando a flotilha no Pacífico. O time da Espanha informou que resolveu parte de um problema de comunicação, que deixou a embarcação às cegas por quase quatro dias.

Foto: Amory Ross

 

Curta a revista Náutica no Facebook e fique por dentro de tudo que acontece no mundo náutico.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Com propulsão eólica, Airbus terá frotas marítimas contra emissões de dióxido de carbono

    Gigante da indústria aeroespacial terá velas rotativas e motores biocombustíveis; entenda

    Vila flutuante nas Maldivas promete ser o mais novo "point" dos milionários

    Projeto da rede de hotéis de luxo Soneva traz uma série de comodidades luxuosas com diárias a partir de R$ 25,6 mil

    São Paulo inaugura estruturas náuticas de uso público para alavancar turismo

    Municípios de Pereira Barreto, Três Fronteiras e Rubinéia deram início à primeira fase do Programa de Turismo Náutico

    Nada de bingo! Aos 81 anos, velejadora aposentada bate recordes navegando sozinha

    Mesmo aposentada, Jeanne Socrates já realizou voltas ao mundo num veleiro, e totalmente solitária

    Solara Boat House fará sua estreia nas águas durante o Rio Boat Show 2024

    Estaleiro terá ainda 3 lançamentos e outros 6 barcos no evento que acontece de 28 de abril a 5 de maio, na Marina da Glória