Scheidt é eleito segundo maior atleta nos 100 anos de história do Brasil em Olimpíadas

Por: Redação -
05/08/2020
Foto: Divulgação

Siga o nosso TWITTER e veja a série Dicas Náuticas diariamente.

O ano de 2020 registra o centenário da primeira participação do Brasil na Olimpíada. E mesmo com os Jogos de Tóquio adiados em função da pandemia, a marca é significativa e merece ser celebrada. O Globoesporte.com consultou 100 jornalistas de vários veículos de comunicação para eleger os maiores atletas brasileiros neste século de história do principal evento poliesportivo do mundo. Dono de cinco medalhas olímpicas, o velejador Robert Scheidt garantiu mais um pódio. Ele ficou em segundo lugar, atrás de Adhemar Ferreira da Silva.

Os dois atletas mais votados pelos jornalistas são bicampeões olímpicos. Adhemar ganhou ouro em 1952 e 1956 na prova do salto triplo. Robert subiu ao alto do pódio na classe Laser nos Jogos de Atlanta/1996 e Atenas/2004. A diferença entre os dois foi de 101 pontos. Enquanto Silva somou 1 868 pontos, Scheidt ficou com 1 767. A medalha de bronze nessa eleição coube a Joaquim Cruz. O campeão na prova dos 800 metros em Los Angeles/1984, recebeu 1 407 pontos.

“É uma honra receber esse reconhecimento da mídia especializada em esporte. Estar ao lado do Adhemar, o primeiro bicampeão olímpico do Brasil, e do Joaquim Cruz, meu ídolo de infância e que, com sua vitória em Los Angeles, me fez sonhar com a conquista de uma medalha de ouro, é especial. Quero agradecer a todos os jornalistas participantes e também aos colegas atletas. Todos nós, com pódios ou não, ajudamos a escrever a história do Brasil nesses 100 anos de participação na Olimpíada”, afirma o maior medalhista olímpico do Brasil, com cinco pódios.

LEIA TAMBÉM
>> Robert Scheidt retornará às competições de vela em setembro, na Alemanha
>> Robert Scheidt é eleito maior atleta olímpico brasileiro de todos os tempos
>> Scheidt inicia contagem regressiva para a disputa da sétima Olimpíada

Scheidt está em preparação para disputar a sétima Olimpíada. Quando largar para a primeira regata em Tóquio, se tornará recordista brasileiro em participações nos Jogos. Enquanto esse dia não chega, ele segue treinando no Lago Di Garda, na Itália, onde mora com a família.

A votação do Globoesporte.com atingiu jornalistas de todo o Brasil. Cada um dos 100 eleitores enviou um “top 20” particular, seguindo uma ordem de relevância. A cada posição na lista, era atribuída uma pontuação de 1 a 20, que foi somada, chegando ao ranking final.

Além dos três primeiros, o top 10 da eleição do GE tem o velejador Torben Grael (4°), o líbero Serginho (5°), o nadador Cesar Cielo (6°), o ginasta Arthur Zanetti (7°), a jogadora de vôlei de praia Jackie Silva (8°), o maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima (9°) e a atacante Scheilla (10°).

Gostou desse artigo? Clique aqui para assinar o nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp e receba mais conteúdos.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Armatti Yachts vai exibir três lanchas no Marina Itajaí Boat Show 2024

    Modelos de 30, 37 e 42 pés marcarão presença no evento, que acontece de 4 a 7 de julho

    Por que a tocha olímpica não apaga debaixo d’água? Entenda

    Tradicional revezamento que antecede os Jogos contou com trecho submerso na França, a 20m de profundidade no Mediterrâneo

    Enorme submarino de guerra surge em Santos, no litoral de São Paulo

    Embarcação da Marinha, o Tikuna - S34 chamou a atenção ao atracar com tripulantes sobre o casco

    Quase 1.500 anos: cientistas identificam a planta marinha mais antiga do mundo

    Espécie de alga marinha surgiu no Mar Báltico no período das Invasões Bárbaras, de 375 d.C. a 700 d.C

    Copa Mitsubishi de Vela: 2ª etapa termina com premiação e domingo sem ventos

    Participantes disputaram regatas no sábado, mas premiação aconteceu no dia seguinte sem novas competições