Tartaruga-verde deixa lista de espécies ameaçadas de extinção

Por: Redação -
18/06/2022
Fotos: @paulaviannauwphotography

No dia 16 de junho, comemora-se o Dia Mundial da Tartaruga Marinha. E, agora,  pela primeira vez, a tartaruga-verde saiu da Lista Oficial das Espécies Brasileiras Ameaçadas de Extinção. O Ministério do Meio Ambiente (MMA) divulgou a nova edição da lista nesta semana, e três espécies de tartaruga marinha registraram melhora de situação.

Em Búzios, a fotógrafa subaquática Paula Vianna registra as cascudas na ilha de Âncora – Santuário das Tartarugas, considerado um dos melhores pontos de mergulho do estado. Seu trabalho com as tartarugas lhe rendeu diversos prêmios internacionais. O mais recente, da Ocean Geographic, foi menção honrosa por um portfólio com 10 fotos de tartarugas marinhas.

A maioria das fotos foi feita no Santuário das Tartarugas, na ilha de Âncora, em Búzios, Região dos Lagos do Rio de janeiro. “Trabalho como fotógrafa subaquática, tirando fotos da vida marinha e de mergulhadores com tartarugas”, conta Paula. “É o melhor trabalho do mundo! Mergulhar traz uma paz enorme, em nenhum outro lugar é possível chegar tão perto de animais selvagens como no mar”, completa.

Cinco das sete espécies de tartarugas marinhas que existem no mundo desovam no litoral brasileiro. Com exceção da tartaruga-verde, que saiu da lista, todas as outras visitantes da costa brasileira são consideradas ameaçadas. Três das espécies registraram mudança para categorias de menor ameaça: a tartaruga-oliva e a tartaruga-cabeçuda passaram para o status vulnerável, deixando de estar em perigo. Já a tartaruga-de-pente passou de criticamente em perigo para em perigo, enquanto a tartaruga-de-couro se mantém como criticamente em perigo.

De acordo com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), o Brasil concentra de 15% a 20% da diversidade biológica do planeta. Está no topo dos 17 países megadiversos, que abrigam cerca de 70% das espécies em todo o mundo. Segundo o MMA, a partir de agora a Lista será atualizada anualmente. Espera-se que o menor intervalo resulte em ganho para a conservação e aplicação de políticas públicas ambientais.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Nova lancha da Azimut promete reduzir em até 40% as emissões de CO₂

    Batizada de Seadeck 6, embarcação foi apresentada em piscina no maior evento de design do mundo, na Itália

    EUA enviam ao Rio de Janeiro porta-aviões gigante de 333 metros; entenda

    USS George Washington atracou no Brasil como parte da operação Southern Seas, que visa incentivar a cooperação entre os países

    Em fase final de testes, Aquabus de Ilhabela transportaram 1,5 mil pessoas no fim de semana

    Novo sistema de transporte aquaviário contará com três catamarãs e capacidade para 60 pessoas em cada viagem; data de inauguração ainda não foi divulgada

    Italiana Rossinavi lança catamarã híbrido-elétrico de 43 metros

    Modelo nasce como “projeto mais inovador” do estaleiro, com tecnologias sustentáveis e até uso de Inteligência Artificial

    Schaefer Yachts anuncia barco que não afunda, ideal para resgates em alto-mar

    Com o nome de Interceptor 48 Pilot, novidade é fruto de parceria com a empresa irlandesa Safehaven Marine