Aprendizado

Por: Redação -
07/04/2015

A Azimut Yachts, marca italiana que mantém um estaleiro de 200 mil m² na cidade catarinense de Itajaí, está organizando cursos para comandantes de embarcações produzidas pela marca no Brasil. Os módulos dirigem-se tanto a donos de lanchas quanto a marinheiros ou responsáveis por elas e são certificados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). A primeira etapa será realizada em maio, no Rio de Janeiro, e reunirá 30 pessoas, no máximo. Em seguida, serão realizados cursos em São Paulo e em Santa Catarina.

Os alunos vão aprender noções básicas sobre as partes mecânica, elétrica e hidráulica das embarcações Azimut, como a importância de realizar a troca dos filtros dos motores e do gerador dentro do prazo recomendado segundo a garantia, entre outros fundamentos. “Queremos que os donos de uma Azimut ou seus responsáveis saibam identificar determinados problemas em um primeiro nível, para que possam informar a assistência técnica com mais precisão – caso não consigam eles mesmos resolver esses problemas – ou para que não tomem atitudes que causem danos ao barco”, comenta Giuseppe Donadio, diretor de Pós-Venda da marca para o Brasil e parte da América Latina. “Nossa filosofia é antecipar problemas emergenciais”, completa ele.

Giuseppe trabalhou durante nove anos na Europa e em outros países, incluindo o território brasileiro, antes de se transferir para cá, há cerca de um ano. Nesse período, fez uma análise do cenário de pós-venda no país para identificar o que precisaria ser desenvolvido, especificamente, a fim de tornar o trabalho mais completo. “Se você não conhece a cultura de um país de perto, não funciona. Vim para cá e identifiquei que o Brasil precisa de um atendimento muito próximo do cliente. Os intermediários – no caso, nossos dealers – ajudam, porém em termos de assistência técnica. A Azimut precisa perceber, diretamente, o nível de satisfação do cliente”, explica Giuseppe.

A Azimut mantém unidades de atendimento no Rio de Janeiro (são duas em Angra dos Reis), São Paulo (no Guarujá) e Santa Catarina (em Itajaí e Balneário Camboriú). Após a realização dessa primeira leva de cursos, a marca planeja criar módulos subsequentes, de maneira que os alunos adquiram novos conteúdos e, consequentemente, mais expertise na administração de eventuais problemas dos barcos. “Isso já acontece na Itália e é um grande sucesso”, assinala Giuseppe.

Foto: Mozart Latorre

 

Curta a revista Náutica no Facebook e fique por dentro de tudo que acontece no mundo náutico.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Procurando um terreno? Ilha intocada na Patagônia Chilena está à venda

    Local tem cerca de 445 km², mais de 80 lagos, a Cordilheira dos Andes de fundo e custa aproximadamente R$ 173,6 milhões

    1ª embarcação capaz de produzir seu próprio hidrogênio está prestes a finalizar volta ao mundo

    Boberto por 202 m² de painéis solares, barco percorreu quase 63.040 milhas náuticas apenas com energias renováveis

    Expedição realizada no Chile pode ter descoberto mais de 100 novas espécies marinhas

    Biólogos do Censo Marinho têm o objetivo de descobrir 100 mil novos seres do mar nos próximos 10 anos

    Casal troca apartamento para viver em veleiro com seis gatos

    Embora a rotina de manutenção do catamarã seja dura e exigente, Aline e José garante que vale a pena

    Novo submarino Tonelero será lançado ao mar no fim de março, no Rio de Janeiro

    Embarcação militar de 71,6 metros é oriunda do Programa de Desenvolvimento de Submarinos, selado entre Brasil e França