Azov Yachts estreia no São Paulo Boat Show com a lancha Azov 480 HT

Estaleiro de Pernambuco tem quatro anos de vida e mira em cascos marinheiros

27/09/2023

Apresentando-se pela primeira vez no São Paulo Boat Show, com a exibição de três modelos de lanchas (a Z 260 Open, a Z 380 Open e Z 480 HT), a Azov Yachts, com sede em prédio próprio de 15 mil m² no município de Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco, é um estaleiro com apenas quatro anos de vida, mas — atenção para o detalhe — já com 296 barcos na água! Bem, pelo menos é o que garante o estaleiro.

“Nasci dentro de barcos. Meus pais são portugueses, adoram navegação. E num determinado momento, desapontado com o pós-venda de alguns estaleiros dos quais comprei lanchas, senti a necessidade de eu mesmo construir”, diz Carlos Avelar, explicando a gênesis da Azov Yachts.

Desde o princípio ficou determinado que os barcos do estaleiro deveriam ter tudo o que um usuário habitual de lanchas costuma exigir de uma embarcação, a começar pelo casco marinheiro. Daí o nome Azov remete ao mar do Oriente (Mar de Azov ou Mar de Azove), conhecido por impor dificuldades aos navegantes.

 

Além disso, as embarcações da marca deveriam ser confortáveis para passeios com a família e funcionais. Assim nasceu a Z 480 HT, lancha com 15,30 metros de comprimento por 3,98 m de boca que chama atenção logo à primeira vista.

Ela possui grandes janelas no costado, uma grande praça de popa e uma plataforma de popa submersível que, além de dimensões generosas, desce 1,10 metro, independentemente da posição das rabetas.

Por dentro, numa cabine com 2,06 de altura, tem acomodações para quatro pessoas em pernoite, com uma boa suíte principal na proa e um camarote de meia-nau fechado, além de um segundo banheiro, sala, cozinha completa e janelas protegidas por cortinas blackout, que oferecem conforto e privacidade aos ambientes. E todas as anteparas (paredes) têm acabamento de tecidos e couro; não há fibra aparente.

Mas, segundo o proprietário do estaleiro, o forte Z480 HT nem está na cabine e, sim, no desempenho.

 

“Meu foco principal sempre foi a navegabilidade. O casco dessa lancha plana muito fácil, economizando combustível, e corta muito bem as ondas. Além disso, navega com 70 centímetros de água”, garante Avelar.

Para quem possa duvidar, ele diz que vendeu quatro unidades dessa lancha em Miami. “A primeira delas foi para um indiano que mora num condomínio com píer na porta de casa. Ele me disse que um trecho do canal só tem 70 centímetros e que se eu provasse que a Azov 480 passa lá, ele compraria o nosso barco. E fechamos negócio. Assim como na Barra do Una, no litoral Norte de São Paulo, onde vencemos o mesmo desafio”, afirma.

Segundo ele, o lema do estaleiro é satisfação e qualidade. “Eu não vendo frustrações. Se você encontrar um só cliente Azov que fale mal de nossos barcos e do nosso atendimento, eu te dou R$ 1 milhão”, desafia.

 

Agressivo, o estaleiro já tem quatro novos projetos em andamento, de 60, 63, 66, 75 e 87 pés. “São cascos consolidados, que adquirimos junto a um famoso estaleiro italiano. Já temos os moldes e dentro de 60 já apresentaremos o projeto da 60 pés”, anuncia o presidente da Azov Yachts.


 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Tags

    Relacionadas

    Vila flutuante nas Maldivas promete ser o mais novo "point" dos milionários

    Projeto da rede de hotéis de luxo Soneva traz uma série de comodidades luxuosas com diárias a partir de R$ 25,6 mil

    São Paulo inaugura estruturas náuticas de uso público para alavancar turismo

    Municípios de Pereira Barreto, Três Fronteiras e Rubinéia deram início à primeira fase do Programa de Turismo Náutico

    Nada de bingo! Aos 81 anos, velejadora aposentada bate recordes navegando sozinha

    Mesmo aposentada, Jeanne Socrates já realizou voltas ao mundo num veleiro, e totalmente solitária

    Solara Boat House fará sua estreia nas águas durante o Rio Boat Show 2024

    Estaleiro terá ainda 3 lançamentos e outros 6 barcos no evento que acontece de 28 de abril a 5 de maio, na Marina da Glória

    Festa no mar: Tailândia tem mega balada flutuante em catamarã

    Com dois andares e capacidade para 500 pessoas, beach club leva agito a cenário paradisíaco