Baleias-francas são avistadas no litoral de Santa Catarina

Período reprodutivo da espécie começa em julho, quando diversos registros costumam ocorrer no Sul do país

22/06/2023
Fotos: Instituto Australis/Divulgação

Pela primeira vez no ano, foram avistadas baleias-francas em Santa Catarina. A equipe do Instituto ProFranca afirmou que houve registros em diversos pontos do litoral catarinense, como nas cidades de Laguna (Cabo de Santa Marta), Praia Grande e Imbituba (Praia de Ibiraquera e Vila Nova).

Os especialistas esperam um aumento no aparecimento dessa espécie ao longo dos próximos dias, explicou Karina Groch, bióloga do Instituto.

No ano passado, somente entre os dias 20 e 21 de setembro, a equipe avistou cerca de 250 baleias-francas em Santa Catarina — muitas delas, mães e filhotes. A maioria estava na região de Gamboa, Siriú, Guarda do Embaú, Itapirubá do Norte, Vila e Praia central de Garopaba.

Este novo registro no litoral catarinense coincide com o início do período de reprodução da espécie. O padrão reprodutivo das baleias-francas é entre julho e novembro, mas com o índice maior em setembro.


Mesmo sendo trianual, o ciclo de reprodução desse tipo de baleia pode variar. Para o gerente de pesquisa do Instituto ProFranca, Eduardo Renault, isso normalmente acontece quando a fêmea perde o filhote ou quando ela não chega a engravidar. Contudo, a alteração ainda não tem explicação científica.

Na visão dos biólogos, as mudanças climáticas acabam por afetar a disponibilidade dos alimentos e, como consequência, afeta a reprodução das baleias-francas.

Saiba mais sobre as baleias-franca

Cada baleia-franca pode pesar até 80 toneladas e possui cerca de 250 pares de barbatanas — as cerdas bucais que elas têm no lugar dos dentes. As fêmeas podem atingir até 17 metros de comprimento, enquanto os machos medem um pouco menos.

É comum haver em seu corpo manchas brancas no ventre. Essa espécie de baleia não tem aleta dorsal e apresenta calosidades na parte da cabeça — que nascem naturalmente da pele e ficam rígidas ao longo dos anos. É nesta parte que vivem os ciamídeos, os crustáceos que acompanham as baleias por toda a sua vida.

Vale ressaltar que o monitoramento das espécies começou na década de 1980 e o ano que mais teve registros foi em 2018, quando 280 baleias-francas foram avistadas no Sul do país.

Toda a equipe de pesquisa segue otimista com estes resultados, pois é o efeito da conscientização e preservação desses animais.

 

Por Felipe Yamauchi, sob supervisão da jornalista Denise de Almeida

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Marolas podem trazer riscos; confira dicas para evitar ou atenuar

    As "ondinhas" formadas pelos barcos parecem inofensivas, mas são perigosas

    Como navegar à noite: dicas para sair em segurança com seu barco

    Navegação noturna envolve mais riscos e exige o dobro de atenção no posto de comando; confira

    Manual da ancoragem: saiba tudo sobre âncoras e como atracar com segurança

    Equipamento pode ter diferentes formas e adequações; saiba qual faz mais sentido para o seu barco

    Esculturas bordadas: artista francesa reproduz formas, texturas e cores dos corais

    As obras poéticas de Aude Bourgine pretendem despertar admiração pela natureza e o desejo de protegê-la

    Conheça Shicheng, cidade chinesa de 600 anos submersa propositalmente

    Local foi inundado há 64 anos para a construção da barragem hidrelétrica e hoje recebe mergulhadores