Competição de vela

Por: Redação -
20/09/2016

A terceira etapa da Copa Suzuki – Circuito Ilhabela de Vela, terminou neste domingo, com a realização de mais uma regata para as classes RGS e Bico de Proa e duas para a C30 e HPE25. Com isso a etapa, disputada em dois finais de semana, somou, nada menos, do que nove regatas para os HPE e C30 e seis para a RGS e Bico de Proa.

Na C30, a classe mais equilibrada da competição, um veleiro se destacou, o Caiçara, de Marcos de Oliveira Cesar, que venceu sete das nove regatas disputadas. Acumulando um total de 12 pontos e descartando as duas piores colocações, a equipe chegou ao final da etapa com 9 pontos, na primeira colocação geral.

Para se ter uma noção da regularidade dos campeões da etapa, o segundo colocado, veleiro Kaikias, de Felipe Echenique, somou 20 pontos. O +Realizado, de José Luis Apud, terminou na terceira colocação geral, somando 24 pontos, já considerando os descartes.

Na HPE25, não foi surpresa o absoluto favoritismo do Ginga, de Breno Chvaicer, que venceu oito das nove regatas da etapa. Ao acumular apenas 8 pontos (já descartados os dois piores resultados), garantiu a primeira colocação. Com o Ginga dominando, a briga na HPE foi pela segunda colocação, conquistada pela equipe do veleiro Repeteco, de Fernando Haaland, que aliás, foi o único a vencer o Ginga em uma das regatas.

O Repeteco somou 15 pontos (já considerando os descartes) e garantiu a segunda colocação com a regularidade de sete segundo-lugares, uma vitória e um quarto, nas 9 regatas da etapa. Em terceiro, o Bond Girl, de Rique Wanderlei, que somou 24 pontos.

Na RGS outro destaque. O veleiro Montecristo, de Julio Cechetto teve impressionante regularidade e perdeu apenas uma das seis regatas disputadas. Garantiu o primeiro lugar ao somar 8 pontos, descartar sua única derrota, um terceiro lugar e finalizar a etapa com 5 pontos.

Com 10 pontos, já considerado o descarte, o Inaê/Transbrasa, de Bayard F.Umbuzeiro Fiho, foi o segundo colocado na etapa. Aliás, vale ressaltar que foi o Inaê o responsável pela única derrota do Montecristo.

O Jazz, de John Julio Jansen, terminou a etapa em terceiro, somando 17 pontos, considerando o descarte de sua pior colocação.

Por fim, na Classe Bico de Proa o H2Orça levou a primeira colocação da etapa.

Esta terceira etapa da Copa Suzuki, assim como as demais, foi realizada em dois finais de semana e foi particularmente marcada pelos ventos firmes e constantes, pela confraternização em terra e, sem dúvida, pelo surgimento dos “barcos a serem batidos”, na próxima e última etapa.

A Copa Suzuki prossegue nos dias 25 e 26 de novembro e 2 e 3 de dezembro. A etapa começará com a tradicional regata Volta à Ilhabela, Sir Peter Blake e vai consolidar o sucesso deste que é o mais tradicional campeonato de vela oceânica aqui do Litoral Norte paulista.

Foto: Aline Bassi

Assine a revista NÁUTICA: www.shoppingnautica.com.br

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Brasileira faz "dobradinha" em premiação da ONU de fotos marinhas

    A fotógrafa Andrea Marandino conquistou a 1ª e 2ª colocação em concurso mundial

    Robô submarino encontra lula com ovos gigantes no fundo do mar

    Cientistas acreditam tratar-se de nova espécie do animal, capaz de botar ovos com o dobro do tamanho comum

    Grand Ocean Boats leva lancha de 37 pés ao Marina Itajaí Boat Show 2024

    Estaleiro exibirá o modelo Grand Ocean 37 na segunda edição do evento náutico, que vai de 4 a 7 de julho

    De 4º maior lago do mundo a deserto: o que aconteceu com o Mar de Aral

    Má gestão de recursos naturais tornou o Mar de Aral um dos maiores desastres ambientais do mundo

    Destroços do último navio de Ernest Shackleton são encontrados no Canadá

    Quest, explorador polar de uma das figuras mais conhecidas da navegação, está no mar de Labrador, a cerca de 390 m de profundidade