Copa do Mundo de Vela

Por: Redação -
03/02/2016
Sailing World Cup Miami is the second of six regattas in the 2016 series. From 25-30 January 2016, Coconut Grove, Miami, USA is hosting more than 780 sailors who are competing across the ten Olympic and two Paralympic classes on the beautiful waters of Biscayne Bay.

A Equipe Brasileira de Vela brilhou na primeira competição no ano dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. No último sábado, 30, no primeiro evento que reuniu os 15 velejadores brasileiros classificados para a Olimpíada, Jorge Zarif, na classe Finn, e Robert Scheidt, na Laser, conquistaram a medalha de ouro na etapa de Miami (EUA) da Copa do Mundo da Federação Internacional de Vela (ISAF). Na 470 feminina, Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan ficaram com a medalha de bronze. Nas dez classes olímpicas em disputa, a Equipe Brasileira marcou presença em seis regatas da medalha.

Com as três medalhas conquistadas, a Equipe Brasileira igualou seu melhor resultado em etapas da Copa do Mundo. Também em Miami, em 2013, o Brasil faturou dois ouros e um bronze. Em total de medalhas, o desempenho mais expressivo aconteceu no ano passado, em Hyères, na França, com quatro subidas no pódio (um ouro, uma prata e dois bronzes). No total em etapas da Copa do Mundo (desde 2009), o Brasil soma 37 medalhas, sendo 19 de ouro, nove de prata e nove de bronze.

Na Baía de Biscayne, em Miami, na Flórida, Zarif manteve a tranquilidade na disputa da regata da medalha. O campeão mundial em 2013 largou bem, velejou com extrema maturidade e chegou em segundo lugar na regata da medalha. Ele ficou em primeiro no geral com 38 pontos perdidos. O vice-campeão foi o dinamarquês Jonas Hogh-Christensen, com 45, e o bronze ficou com o russo Arkadiy Kistanov, com 46.

As águas de Miami fazem bem para Zarif. As duas outras medalhas do velejador em etapas da Copa do Mundo foram conquistadas na cidade americana. Em 2013 e 2014, o brasileiro havia faturado o bronze. “Estou bem contente com o resultado. Tentei ficar calmo na regata, pois não é fácil enfrentar o dinamarquês, vice-campeão olímpico em Londres-2012. Cometi alguns erros durante a semana que não posso repetir nos Jogos Olímpicos do Rio, mas tive uma grande melhora em relação aos últimos campeonatos. O barco está rápido e estamos trabalhando duro”, avaliou Zarif.

Classificado para sua sexta Olimpíada, Robert Scheidt segue brilhando na Laser, classe em que é bicampeão olímpico. Na regata da medalha, ele começou atrás do francês Jean Baptiste Bernaz, seu rival na briga pelo ouro. Mas se recuperou na disputa, ultrapassou o adversário e chegou em quarto, totalizando 53 pontos perdidos. Ele ficou com a medalha dourada um ponto à frente de Bernaz. O bronze foi para o neozelandês Sam Meech, com 69.

“Foi uma regata tensa, com vento fraco. O francês começou na frente, mas consegui me recuperar. Foi uma boa semana encerrada com um ótimo resultado”, disse Scheidt, que agora soma 13 medalhas em etapas da Copa do Mundo, sendo nove de ouro, três de prata e uma de bronze.

Na 470 feminina, Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan deixam Miami com a medalha de bronze. Elas terminaram a regata da medalha em décimo, finalizando a competição com 48 pontos perdidos. O ouro ficou com as chinesas Shasha Chen e Haiyan Gao, com 35, e a prata com as austríacas Lara Vadlau e Jolanta Ogar, com 40. Esta foi a quinta medalha da dupla em etapas da Copa do Mundo. Elas já tinham conquistado quatro ouros.

Na RS:X feminina, Patricia Freitas terminou a regata da medalha em sexto, encerrando sua participação no quarto lugar na classificação geral, com 77 pontos perdidos. O ouro ficou com a britânica Bryony Shaw, com 34, a prata com a holandesa Lilian De Geus, com 47, e o bronze com a chinesa Peina Chen, com 59.

Na 49erFX, as campeãs mundiais em 2014, Martine Grael e Kahena Kunze, terminaram a regata da medalha em quinto. No geral, também ficaram em quinto, com 124 pontos perdidos. O ouro foi para as neozelandesas Alexandra Maloney e Molly Meech, com 75, a prata para as dinamarquesas Jena Mai Hansen e Katja Salskov-Iversen, com 100, e o bronze para as suecas Lisa Ericson e Hanna Klinga, com 101.

Na RS:X masculina, Ricardo Winicki, o Bimba, chegou em quinto na regata da medalha, terminando em oitavo no geral, com 114 pontos perdidos. O ouro foi para o holandês Dorian Van Rijsselberge, com 37, a prata para o britânico Nick Dempsey, com 43, e o bronze para o chinês Aichen Wang, com 46.

Nas demais classes, a Equipe Brasileira ficou fora da regata da medalha. Na 470 masculina, Henrique Haddad e Bruno Bethlem terminaram em 12º. Na Laser Radial, Fernanda Decnop foi a 21ª, Odile Ginaid a 25ª e Gabriella Kid a 55ª. Na Nacra 17, João Bulhões e Gabriela Nicolino terminaram em 22º, enquanto Samuel Albrecht e Isabel Swan foram 34º. Na 49er, Marco Grael e Gabriel Borges terminaram em 55º. Por conta de uma virose de Gabriel, a dupla somente conseguiu entrar na água nesta sexta-feira.

Também não disputaram a regata da medalha Bruno Fontes (12º na Laser), Bruna Martinelli (20ª na RS:X feminina) e Gabriel Bastos (30º na RS:X masculina).

Foto: Divulgação

Assine a revista NÁUTICA: www.shoppingnautica.com.br

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Brasileira faz "dobradinha" em premiação da ONU de fotos marinhas

    A fotógrafa Andrea Marandino conquistou a 1ª e 2ª colocação em concurso mundial

    Robô submarino encontra lula com ovos gigantes no fundo do mar

    Cientistas acreditam tratar-se de nova espécie do animal, capaz de botar ovos com o dobro do tamanho comum

    Grand Ocean Boats leva lancha de 37 pés ao Marina Itajaí Boat Show 2024

    Estaleiro exibirá o modelo Grand Ocean 37 na segunda edição do evento náutico, que vai de 4 a 7 de julho

    De 4º maior lago do mundo a deserto: o que aconteceu com o Mar de Aral

    Má gestão de recursos naturais tornou o Mar de Aral um dos maiores desastres ambientais do mundo

    Destroços do último navio de Ernest Shackleton são encontrados no Canadá

    Quest, explorador polar de uma das figuras mais conhecidas da navegação, está no mar de Labrador, a cerca de 390 m de profundidade