Copa Mitsubishi de Vela encerra segunda etapa em dia de vento constante em Ilhabela

Por: Redação -
06/06/2022

Um dia de sol e ventos leste de aproximadamente 15 nós, marcou o último dia de regatas da segunda etapa da Copa Mitsubishi, em Ilhabela.

Ao todo 43 equipes disputaram quatro dias de regatas em situações bem distintas. No primeiro final de semana, falta de ventos e calor, no segundo, frio e ventos intensos que proporcionaram regatas emocionantes. No resultado geral, um campeonato divertido, com direito a muita confraternização entre amigos.

Após sete regatas disputadas na classe HPE25, as equipe do Ginga, de Breno Chvaicer e Mussulo, de José Guilherme Pereira Caldas, terminaram o campeonato com os mesmos 10 pontos acumulados. No critério de desempate, vantagem para o Ginga, que tinha uma vitória a mais, e assim conquistou a etapa, deixando o Mussulo em segundo.

O Pé de Vento, de Vasco Simões e o Conquest, de Marco Hidalgo, também terminaram a etapa empatados, com 21 pontos. No desempate, vantagem para o Pé de Vento, que ficou com a terceira colocação geral. Completam o quadro o Conquest, quarto, e o Crazy Phoenix, de Mario Lindenhayn, em quinto.

Com a mesma quantidade de regatas a classe C30 viu a predominância da equipe Caballo Loco, de Mario Dottori, que venceu quatro das sete regatas, fechando o campeonato com 8 pontos (já considerado o descarte do pior resultado).

Em segundo, com 12 pontos, o Team 06 Loyalty, de Alex Leal e na terceira colocação o Kaikias, de Eduardo Mangabeira, com 14.  O Kairós, de Alessandro Penido, com 24 e o Caiçara, de Marcos Cesar, com 27, completam a flotilha.

Na RGS A o Zeus foi o campeão, tendo vencido três das quatro regatas disputadas e acumulando 5 pontos. Em segundo, com 8, o Urânia, de Luiz Bolina e em terceiro, o BL3 Urca, de Clauberto Andrade. Morgazek, de Eduardo Câmara e Malu, de Vitor Moia, foram os demais participantes da RGS A.

Na divisão C da RGS, o Brazuca, de Rubens Bueno e o Sextante, de Thomas Shaw, terminaram a etapa também empatados, com 7 pontos. O  Brazuca, com uma vitória a mais, foi o primeiro colocado. Em terceiro, o Triton, de Ricardo Zamboni, com 13, seguido do Tango, de Átila Bohn (15) e do Malagueta, de Fabio Tenório, com 22.

O equilíbrio da divisão Silver da ORC, se refletiu no resultado final.  O Bravo, de Jorge Berdasco, campeão da divisão, terminou o campeonato com 6 pontos, um à frente do Orson, de Kalu Silva, que, por sua vez, ficou apenas um ponto à frente do Lucky V Alforria, de Luiz Villares.

O Phoenix, de Eduardo Souza Ramos, conquistou a ORC Gold acumulando 5 pontos nas cinco regatas disputadas, já considerado o descarte. Em segundo, a equipe Xamã, comandada por Sergio Klepacz, com 11. E com 14 pontos, o Crioula 52 foi o terceiro colocado na ORC Gold.

A Copa Mitsubishi Circuito Ilhabela de Vela 2022 vai prosseguir no mês de outubro. Dias 8,9 e 15,16 as equipes voltam à raia para a terceira e penúltima etapa do circuito.

Confira aqui os resultados da etapa

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    EUA enviam ao Rio de Janeiro porta-aviões gigante de 333 metros; entenda

    USS George Washington atracou no Brasil como parte da operação Southern Seas, que visa incentivar a cooperação entre os países

    Em fase final de testes, Aquabus de Ilhabela transportaram 1,5 mil pessoas no fim de semana

    Novo sistema de transporte aquaviário contará com três catamarãs e capacidade para 60 pessoas em cada viagem; data de inauguração ainda não foi divulgada

    Italiana Rossinavi lança catamarã híbrido-elétrico de 43 metros

    Modelo nasce como “projeto mais inovador” do estaleiro, com tecnologias sustentáveis e até uso de Inteligência Artificial

    Schaefer Yachts anuncia barco que não afunda, ideal para resgates em alto-mar

    Com o nome de Interceptor 48 Pilot, novidade é fruto de parceria com a empresa irlandesa Safehaven Marine

    Criatura de 18 metros está impactando a cadeia alimentar da vida marinha; entenda

    Gelatinoso e transparente, os "picles do mares" causam perturbações no ecossistema durante as ondas de calor oceânicas e preocupam cientistas