Copa Mitsubishi de Vela: 2ª etapa termina com premiação e domingo sem ventos

Participantes disputaram regatas no sábado, mas premiação aconteceu no dia seguinte sem novas competições

25/06/2024
Foto: Aline Bassi / Balaio / Divulgação

Os participantes da 2ª etapa da Copa Mitsubishi – Circuito Ilhabela de Vela que esperavam por um final de semana cheio de regatas, tiveram que se contentar apenas com o belo dia de sol do último sábado (22).

Isso porque o domingo (23), que marcaria o fim das competições da fase, não permitiu que os veleiros dessem a largada devido à absoluta falta de vento.

Foto: Aline Bassi / Balaio / Divulgação

Mas isso não tirou o brilho da premiação, que aconteceu com base nos três dias que marcaram a fase da Copa Mitsubishi. Nos dias 15, 16 e 22 de junho, nada menos do que 40 barcos disputaram nas classes HPE25, C30, ORC, BRA-RGS e RGS Cruiser.

 

Agora, os competidores aguardam a terceira etapa da Copa Mitsubishi, marcada para acontecer em setembro, que dará passe livre aos vencedores para a grande final em dezembro.

Foto: Aline Bassi / Balaio / Divulgação

Resultados da 2ª etapa da Copa Mitsubishi de Vela

Após oito regatas, os dois primeiros colocados da classe HPE25 terminaram a etapa empatados com 14 pontos. No critério de desempate, o pódio ficou assim: Crazy Phoenix, de Mario Lindenhayn, em primeiro; Ginga, de Breno Chvaicer, em segundo; Brasil Mussulo, de José Guilherme Pereira Caldas, em terceiro.

 

A RGS teve como campeão o Zeus, de Paulo F. Moura, com o My Boy, de Lars Müller, na cola. Logo em seguida, ficou o Beleza Pura 2, de Felipe Degan.

Foto: Aline Bassi / Balaio / Divulgação

Na divisão A da RGS, os primeiros colocados foram Zeus, Beleza Pura e Sossegado, de Marco Higaldo. Na divisão B, os destaques foram para o My Boy, Tanuki, de Rafael Terentin, e o Blu1, de Marcelo Ragazzo.

 

Já na divisão C da BRA-RGS, vitória do Comanda, de Sebastian Menendez. Em segundo, veio o Brazuca, de Rubens Bueno, e em terceiro o Triton/Daikin, de Ricardo Zamboni.

Foto: Aline Bassi / Balaio / Divulgação

A classe ORC teve como campeão o Phoenix 44, de Mauro Dottori e Fabio Cotrim. O segundo lugar ficou com o 4z Phytoervas, de Marcelo Bellotti, e o terceiro com o King, de Marcello Sestini.

 

Na ORC Cruiser, o Lucky/ Alforria, de Luiz Villares, garantiu a liderança, ao passo que o Xamã, de Sérgio Klepacz e o Orson, de Carlos Eduardo Souza e Silva ocuparam os segundo e terceiro lugares.

Foto: Aline Bassi / Balaio / Divulgação

Confirmando o favoritismo, o Tonka, de Demian Pons, levou a melhor na classe C30. Na sequência, aparecem os veleiros Relaxa/ Building, de Tomás Mangabeira, e o Bravo, de Jorge Berdasco.

 

A classe RGS Cruiser correu apenas no primeiro final da semana da etapa.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Brasília Boat Show transformará a capital do país no epicentro do mercado náutico

    Primeira edição do salão no Centro-Oeste acontece de 14 a 18 de agosto, nas águas do Lago Paranoá; garanta seu ingresso!

    NX Boats desembarca nos EUA com sua maior lancha, a NX 50 Invictus

    Modelo de 50 pés com hardtop estreou recentemente em águas norte-americanas; estaleiro descreveu momento como “histórico”

    Professor larga tudo para dar volta ao mundo em veleiro de 8 metros

    Pelas redes sociais, Luke Hartley compartilha suas aventuras a bordo de uma 27 pés de 1976

    Mestra Boats exibirá grandes sucessos de 29 a 35 pés no Brasília Boat Show

    Estaleiro disponibilizará aos visitantes do evento náutico a Mestra 352 HT, seu maior modelo, e outros dois barcos bem resolvidos; confira

    No século 17, maior navio do mundo foi construído no Brasil e batizou o Aeroporto do Galeão

    Embarcação de guerra foi construída a pedido da coroa portuguesa, que buscava recuperar terras perdidas para a Espanha