Na Austrália, um navio abandonado virou uma espécie de formidável vaso náutico. Confira

Por: Redação -
10/05/2019

Se alguém ainda tem dúvidas sobre os milagres da natureza, os restos do SS Ayrfield estão aí para provar que não é preciso quase nada para gerar vida. Até um velho casco abandonado pode virar uma espécie de “vaso náutico”.
E o que é mais incrível: dentro d´água!

A minifloresta flutuante que brotou espontaneamente no carcomido casco de aço do velho navio a vapor abandonado no fundo da baía de Sydney, após a Segunda Guerra Mundial, virou uma das mais insólitas e, ao mesmo tempo, fantásticas atrações turísticas da Austrália. E continua crescendo, a despeito da ausência de terra firme a bordo e da água salgada que a envolve. Só mesmo a natureza seria capaz disso.

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A edição deste mês já está disponível nas bancas, no nosso app
e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Em fase final de testes, Aquabus de Ilhabela transportaram 1,5 mil pessoas no fim de semana

    Novo sistema de transporte aquaviário contará com três catamarãs e capacidade para 60 pessoas em cada viagem; data de inauguração ainda não foi divulgada

    Italiana Rossinavi lança catamarã híbrido-elétrico de 43 metros

    Modelo nasce como “projeto mais inovador” do estaleiro, com tecnologias sustentáveis e até uso de Inteligência Artificial

    Schaefer Yachts anuncia barco que não afunda, ideal para resgates em alto-mar

    Com o nome de Interceptor 48 Pilot, novidade é fruto de parceria com a empresa irlandesa Safehaven Marine

    Criatura de 18 metros está impactando a cadeia alimentar da vida marinha; entenda

    Gelatinoso e transparente, os "picles do mares" causam perturbações no ecossistema durante as ondas de calor oceânicas e preocupam cientistas

    Minas Gerais ganhará bar flutuante de vinhos na Represa do Funil

    Com o nome de Almas Gerais, iniciativa tem previsão de entrega em julho de 2024 e faz parte do milionário projeto Enovila