Náutica comparou dois tipos de hélices para motores de centro. Confira

06/08/2018

Não há ainda uma maneira mais rápida, e barata, de melhorar a performance de uma lancha do que mexer no hélice do barco. Afinal, essa peça, geralmente metálica, é a responsável direta pela impulsão da lancha, transformando a energia do motor em empuxo. Você pode não acreditar, mas pequenas mudanças no hélice podem trazer resultados significativos no rendimento de uma lancha. O melhor de tudo é que, cada vez mais, os fabricantes de hélices desenvolvem produtos mais eficientes. Para isso, recorrem a recursos computadorizados avançados, novas tecnologias de fundição e até ligas metálicas recém-desenvolvidas e que tornam as pás dos hélices mais finas e leves, sem perder a resistência — o que melhora a performance, especialmente no caso dos motores de popa.

NÁUTICA já publicou diversos artigos sobre hélices de motorização de popa ou de centro-rabeta. Agora, chegou a vez das lanchas com motores de centro com linha de eixo, leme e pé-de-galinha. Há diferenças significativas entre eles. Enquanto os hélices para motores de popa são feitos, em sua maioria, de alumínio ou inox, com grande ângulo de inclinação das pás (raker), os hélices para motores de centro são maiores e fundidos geralmente com uma liga de níquel, bronze e alumínio. O raker nos hélices para motores de centro costuma ser zero ou próximo disso, o que significa que suas pás encontram-se na perpendicular em relação ao bosso (região central do hélice). Isso implica em um pouco mais de resistência ao avanço. Por outro lado, hélices de raker zero, comparados aos hélices para motores de popa, cujo raker é bem alto, aumentam o empuxo em marcha à ré.

Confira a matéria completa na edição do mês de Náutica, disponível nas principais bancas e livrarias do país, na loja online e, também, na versão digital.

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A edição deste mês já está disponível nas bancas, no nosso app
e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Homem nada mais de 100 metros sem respirar em lago congelado e quebra dois recordes

    Aos 52 anos, experiente nadador suíço acumula títulos e já deteve outro recorde mundial; confira

    Resorts 'no meio do nada' oferecem de natação com cavalos a plantio de recifes

    Ultraluxuosos, estabelecimentos cercados por belas águas buscam se diferenciar com passeios extravagantes; conheça 5 deles

    Búzios ganhará Centro de Desenvolvimento da Vela após parceria de ICAB e CBVela

    Parceria inédita prevê treinos das equipes jovem e principal, clínicas, uma escola de vela e projeto social para fomento do esporte na região

    Tubarão mais rápido dos oceanos é filmado no litoral de São Paulo; assista

    Conhecido como tubarão-mako, animal que pode atingir até 70 km/h foi flagrado próximo à Ilhabela

    Pinguim aparece em praia de Cabo Frio (RJ), surpreende banhistas e levanta dúvida: é normal?

    Apesar de ter sido visto navegando tranquilamente no mar transparente da região, presença do animal em águas brasileiras levantou questionamentos