No chão do barco

Por: Redação -
19/02/2016

Pisos, de maneira geral, podem ser dos mais variados tipos, como cerâmica, porcelanato, taco, vidro, laminados, madeira, granito, mármore, entre outros. No caso dos itens de uma embarcação, entretanto, nem todos podem ser utilizados devido a alguns fatores impossíveis de serem negligenciados: o sol, a chuva e o vento. Sinônimo de luxo, requinte e beleza, nos barcos, escolher bem o revestimento para os paineiros é, além de tudo, questão de segurança, durabilidade e conforto.

Segundo José Pinteiro, sócio do estaleiro Ecomariner, todas as partes do barco devem receber um revestimento no piso. No entanto, é necessário ter atenção quanto ao tipo utilizado em cada compartimento da embarcação. “O principal objetivo que se deve ter em mente na hora de revestir um barco é unir estética, segurança e durabilidade”, conta Pinteiro. “O mais importante, na verdade, é escolher um material antiderrapante para evitar acidentes”, ressalta.

Atualmente, os revestimentos mais utilizados para embarcações são os pisos de madeira natural, conhecidos como teca, de teca sintética (fabricada em pvc), de espuma vinílica acetinada e os tapetes vinílicos.

A teca natural é o tipo de revestimento que garante mais sofisticação ao barco. É fabricado a partir da madeira natural, é antiderrapante e suporta sol, chuva e água salgada, ideal para ser aplicada em todo o assoalho da embarcação. A limpeza deve ser feita com água e detergente ou shampoo neutro e ela tem durabilidade de 15 a 20 anos. Já a Sintética é visualmente parecida com a natural, mas feita com pvc. O material não apodrece, é maleável, de fácil aplicação e limpeza, podendo ser lavada com jatos de pressão, e tem o custo um pouco mais em conta.

O piso de espuma vinílica acetinada é feito de plástico e tem a propriedade de não absorver líquidos, nem sujeira, portanto sua limpeza é feita de maneira bem simples com água. A espuma é leve, não esquenta e tem durabilidade média de 10 anos. Os tapetes vinílicos, por sua vez, são feitos de fios de pvc. É um material flexível, confortável, de fácil manutenção e rápida instalação. É térmico, reciclável e não propaga chama ou absorve água.

Nas áreas internas, o carpete é uma boa opção. No caso das áreas úmidas, como popa e cozinha, o ideal é escolher a teca natural ou sintética.

Foto: Divulgação

Assine a revista NÁUTICA: www.shoppingnautica.com.br

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Olimpíadas de Paris: você sabia que o surfe não será disputado na França?

    Em decisão polêmica, Comite Olímpico escolheu outro país para sediar todas as baterias do esporte; entenda

    Adolescente para lancha desgovernada e impede acidente em lago nos EUA

    Imagens gravadas por quem estava no local mostram jovem de 17 anos saltando de um jet em direção ao barco que rodopiava sem condutor

    Público do Brasília Boat Show tem desconto exclusivo em hotéis parceiros; saiba como funciona

    Visitantes do evento náutico, que atraca pela primeira vez no Lago Paranoá, poderão desfrutar de condições especiais no momento da reserva

    Navio de pesquisa de 1962 é capaz de “ficar de pé” no mar; assista em ação

    Quando na vertical, paredes internas viram pisos e móveis são adaptados para a nova posição

    Na dúvida de qual jet comprar? Confira modelos da Sea-Doo para cada necessidade

    Empresa conta com opções que atendem desde iniciantes no universo náutico até apaixonados por velocidade ou pesca