Parados

Por: Redação -
12/11/2015
DEPART

‘Está uma tortura isso aqui”, disse o brasileiro Renato Araújo sobre a passagem pelos Doldrums do Oceano Atlântico, um dos pontos mais importantes do percurso Transat Jacques Vabre. Enfrentar a calmaria próxima à Linha do Equador é obrigatória para todos os barcos que disputam a maior travessia transatlântica do mundo. Mas o ponto, que chegou a ser chamado de Latitude dos Cavalos no passado – barcos mercantes jogavam os animais na água por falta de ração durante o marasmo – está se tornando uma pedra no sapato do veleiro Zetra, o primeiro 100% brasileiro da história da regata. Em 24 horas, o campeão olímpico Eduardo Penido e o empresário Renato Araújo andaram menos de 200 quilômetros. ”Foi uma noite estressante. Mudamos de direção mais de 20 vezes para tentar pegar vento. Sem contar a chuva que não parou”, relatou Renato Araújo.

Os Doldrums também são encontrados nos oceanos Pacífico e Índico. A zona de convergência intertropical registra ventos calmos em quase todo o dia, mas rajadas fortes aparecem sem aviso prévio e sem direção. A navegação fica confusa e o trabalho a bordo aumenta consideravelmente. ”Ainda bem que é um barco. Se fosse avião tinha caído”., contou Eduardo Penido.

O Zetra segue na sexta colocação na Class40 e deve concluir o percurso até Itajaí (SC) no dia 23 de novembro. ”O pessoal que estava atrás chegou e a gente está na expectativa de sair logo daqui. Nos Doldrums pegamos 90% do dia sem vento nenhum, depois vem uma ventania. Esperamos sair dessa região esquisita até a sexta-feira (13)”, contou Renato Araújo. ”Saindo daqui será uma nova largada. O traçado até Itajaí será uma linha reta passando por Noronha”.

Pegar o líder da Class40 é uma possibilidade quase nula para os brasileiros, que encaram a regata pela primeira vez. O objetivo é tentar diminuir a distâncias para o quinto colocado e não deixar os que estão atrás encostar. A largada da Transat Jacques Vabre ocorreu em 25 de outubro com 42 barcos, mas 17 ficaram pelo caminho.

Os campeões de três classes já foram conhecidos na regata: FenêtréA Prysmian (Multi50), PRB (IMOCA) e Macif (IMOCA).

Assine a revista NÁUTICA: www.shoppingnautica.com.br

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Ilhabela deve ganhar 1ª usina de dessalinização de água de São Paulo em 2026

    Projeto prevê aumento de 22% no volume de água tratada no município, atendendo mais de 8 mil pessoas

    Descanso sobre as águas: hospedagem em barcos atracados é opção de lazer no litoral brasileiro

    Ideia dispensa a necessidade de carteira náutica e traz valores acessíveis para uma experiência pra lá de diferente

    Falkirk Wheel: conheça o elevador gigante para barcos que virou ponto turístico

    Construção na Escócia foi feita para driblar desnivelamento maior que um prédio de dez andares

    Ações de despoluição na Baía de Guanabara fazem vida marinha voltar às águas

    Expedições comandadas pelo Instituto Mar Urbano observaram mais animais na região e melhor qualidade da água

    Boat Show traz descontos exclusivos para hospedagem em Itajaí; conheça opções

    Parceria com dois hotéis garante conforto e condições especiais para visitantes do salão, que acontece de 4 a 7 de julho