Regata Salvador – Morro de São Paulo movimentou a Baía de Todos-os-Santos neste fim de semana

Por: Redação -
21/01/2021
Fotos: Luciano Lahiguera

A III Regata Salvador – Morro de São Paulo de Vela de Oceano deu um colorido especial à Baía de Todos-os-Santos, no último sábado (16). Quarenta barcos largaram do Yacht Club da Bahia num dia de muito sol e ótimos ventos.

Inscreva-se no canal de NÁUTICA no YouTube e ATIVE as notificações

O barco Sagma (YCB), do comandante Christopher Hannigan, foi o fita azul da regata. Pela classe RGS, chegou em 1º o Alpha2 (Saveiro Clube da Bahia), do comandante Alberto Vita, seguido do Avanti (YCB), de Carlos Medrado, e do Atitude (Marina Aratu), de Marcos Neumayer.

Pela classe Skipper 21, o 1º lugar ficou com o Drakkar (YCB), do comandante Christophe Fontaine, seguido do Jeri (YCB), de Fernando Santa Rita, e do Alegria (YCB), de Christian Mascarenhas Andrade.

Leia também

» Curso de observador de baleias lançado na Itália visa unir ambiente, turismo e ciência

» Organização holandesa anuncia parceria para limpar os rios mais poluídos do mundo. Entenda

» Guarujá quebra recorde como cidade mais certificada pela Bandeira Azul na América do Sul

O barco Marujos (AIC) venceu a classe VPRS, seguido do Ventania (AIC), comandado por Lúcio Bahia, e do Papa Léguas, do comandante Mauricio Sacchi. Pela classe Cuiser, chegou na frente o Le Par Um (AIC), do comandante Wellinton Costa, à frente do Risco Zero (Saveiro Clube da Bahia), do comandante Fabrício Galvão e do Shackleton (Marina Aratu), do comandante Luis Pitta.

A chegada em Morro de São Paulo teve ventos favoráveis e muito sol. A premiação com entrega de troféus foi feita individualmente, barco a barco, para evitar aglomerações.

A regata reuniu competidores do YCB, Aratu Iate Clube, AVAR, Bahia Marina, Marina Aratu, Saveiro Clube da Bahia, Angra dos Veleiros e Cabanga Iate Clube (PE). Confira todos os resultados.

Realizada sempre no verão, a Regata Salvador Morro de São Paulo de Vela de Oceano acontece sob ótimas condições de tempo, mar e ventos bons, geralmente de leste a nordeste e que proporcionam uma velejada de “vento folgado” até Morro de São Paulo, de acordo com informações da organização.

Além de exigir muita técnica, no que se refere à estratégia de navegação, a Regata também é um convite para se velejar com a família e os amigos, já que os ventos proporcionam uma velejada mais agradável e confortável. A Regata também tem um caráter desafiador, por ser realizada em mar aberto e fora do abrigo da Baía de Todos-os-Santos.

Gostou desse artigo? Clique aqui para assinar o nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp e receba mais conteúdos.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Linda e precária: ilha no Caribe Colombiano é a mais densamente povoada do mundo

    Com 10 mil m² de área, Santa Cruz del Islote tem apenas 825 habitantes e sofre com turismo predatório

    Ilhabela deve ganhar 1ª usina de dessalinização de água de São Paulo em 2026

    Projeto prevê aumento de 22% no volume de água tratada no município, atendendo mais de 8 mil pessoas

    Descanso sobre as águas: hospedagem em barcos atracados é opção de lazer no litoral brasileiro

    Ideia dispensa a necessidade de carteira náutica e traz valores acessíveis para uma experiência pra lá de diferente

    Falkirk Wheel: conheça o elevador gigante para barcos que virou ponto turístico

    Construção na Escócia foi feita para driblar desnivelamento maior que um prédio de dez andares

    Ações de despoluição na Baía de Guanabara fazem vida marinha voltar às águas

    Expedições comandadas pelo Instituto Mar Urbano observaram mais animais na região e melhor qualidade da água