Teste Sea-Doo Fish Pro Scout 130: Aliando conforto e estabilidade, jet faz sucesso entre os pescadores

Embarcação com itens inovadores virou febre entre os amantes da pesca esportiva nos Estados Unidos

10/12/2022

Passeio ou pesca? Os dois! Indicado para um pescador ocasional, o jet Sea-Doo Fish Pro Scout 130 tem uma proposta que parece slogan publicitário. A embarcação promete aliar o conforto, a hidrodinâmica, a estabilidade e a velocidade de uma moto aquática de passeio com os recursos de um jet de pesca.

 

Para isso, entre outros recursos, o Sea-Doo Fish Pro Scout 130 vem equipado com localizador de peixes (fishfinder), sistema que expulsa sujeira e detritos capturados pelo rotor (iDF) e uma gama enorme de apetrechos para o pescador (neste caso, já como itens de série), como um cooler térmico de pesca de 51 litros, suportes de varas e até puçá, ajuste de velocidade para pesca de corrico e GPS com carta náutica com tela colorida de 6 polegadas, da Garmin.

 

Um dos itens que mais diferenciam este modelo é o assento para pesca “Ergolock”, que é diferente dos modelos de passeio e favorece a ação do pescador para qualquer lado que ele estiver virado. Tudo isso com a poderosa marca canadense estampada no casco. Mas, será que é 100% fiel a esse conceito?

 

Para tirar a prova dos nove, pegamos uma unidade do Fish Pro Scout na concessionária Casarini (líder de vendas da Sea-Doo no Brasil, com três endereços em São Paulo, e uma das melhores revendas BRP em todo o mundo) e levamos para as águas do Guarujá.

Antes de embarcar, na Praia da Enseada, chama atenção o desenho da plataforma desse jet, de 13 pés de comprimento, construída sobre a base de casco da linha GTI.

 

O casco é confeccionado com um material mais leve, exclusivo da Sea-doo, o Polytec, já de segunda geração. É um casco largo, com 1,25 m de boca, com centro de gravidade mais baixo e a promessa de melhor estabilidade.

 

E como menos peso (apenas 355 kg) sempre significa maior desempenho (além de economia de combustível), é fácil imaginar o que o Fish Pro Scout entrega, mesmo com um motor Rotax 1630 ACE de 130 hp — na versão Fish Pro Sport, com plataforma alongada, a potência salta para 170 hp. No nosso teste, a velocidade máxima foi de 83 km/h (perto de 45 nós, ou ainda 51,5 mph).

Junto com NÁUTICA, embarcou o pescador Felipe Bogomoltz, craque no assunto há mais de 30 anos, que listou as vantagens de se pescar com um jet, em vez de uma lancha. “Há vários pontos a favor. Em primeiro lugar, a facilidade de se colocar o jet na água (é uma operação muita mais rápida). Depois, o consumo de combustível, que é muito menor.

 

Pesa também o fato de o pescador estar mais perto da água, mais perto dos peixes. Além disso, é muito mais fácil lavar um jet do que uma embarcação de maior porte. Sem contar o fato de se poder entrar e sair da água com mais rapidez e, consequentemente, com mais economia.

 

Entre os recursos de série desse jet — como área estanque para o celular, conexão USB e os vários itens para a pesca já listados — está um amplo espaço de carga frontal, com sacola removível, que, somado ao sistema de engate rápido (LinQ) na parte traseira, que permite adicionar o cooler de 51 litros, sobra espaço para o armazenamento de todos os equipamentos de pesca, e muito mais.

O sistema de engate rápido, com dois pontos de fixação integrados, permite adicionar facilmente vários itens de conforto, de porta-copos e porta-varas (nos bordos dianteiros) a um cooler e uma bolsa, entre outros acessórios disponibilizados pela Sea-Doo.

 

Como tudo é removível — dos suportes das varas de pesca à geleira na popa —, em poucos segundos o jet de pesca se transforma em uma embarcação de passeio de três lugares, com todos os recursos de uma moto aquática Sea-Doo, como degrau de reembarque, freio e reverso, além do sistema que permite a limpeza da grelha com um simples botão, ou seja, sem que o piloto tenha de sair do seu assento.

Na hora do desembarque, Felipe Bogomoltz rasgou elogios ao Fish Pro Scout. “Girei 360 graus, puxei para trás, fui para frente, para um lado, para o outro, testei os acessórios, e me senti bastante confortável. É um belo de um brinquedo”, afirma o pescador.

 

“Gostei muito do espaço na geladeira, onde dá para transportar bebidas e gelo. Há ainda um belo lugar para colocar a caixa de pesca, e um Garmin incrível para colocar a carta náutica e o transducer. É um jet muito estável, confortável e possante. O único senão é a falta de um suporte inclinado para trás. Assim mesmo, dá para corricar numa boa”, conclui Bogomoltz, que, durante o teste, fisgou três peixes: um xaréu olhudo e dois xareletes.

 

Não por acaso, esse jet, com número crescente de usuários no Brasil, já conquistou os pescadores nos Estados Unidos.

Saiba tudo sobre o Sea-Doo Fish PRO Scout 130

Velocidade: 51,5 mph (45 nós)
Capacidade: 355 kg (3 pessoas)
Combustível: 60 litros
Potência: 130 hp
Preço: a partir de R$ 119.990,00 (pesquisado em dezembro/2022)

 

Reportagem: Guilherme Kodja e Felipe Bogomoltz
Edição de texto:
Gilberto Ungaretti
Edição de vídeo: Luiz Becherini
Fotos: Victor Oliveira e Divulgação

 

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    E-combustíveis para o setor marítimo podem gerar 4 milhões de empregos, diz pesquisa

    Estudo foi encomendado pelo Fórum Marítimo Global e indica que as vagas serão abertas até 2050

    Futurista e feita de titânio: conheça a lancha de 55 pés que parece uma nave espacial

    Com estilo contemporâneo, será a primeira embarcação lançada pelo estaleiro Mirrari, dos Emirados Árabes Unidos

    Litoral de São Paulo e do Rio pode ter ondas de até 3 metros neste sábado (18)

    Alerta da Marinha do Brasil vale para as cidades de Santos e Campos dos Goytacazes; confira dicas de segurança em caso de ressaca marítima

    Projeto na Croácia quer criar cinco vilas ecológicas de luxo à beira mar com direito a barcos elétricos

    Ideia da eD-TEC visa redefinir o conceito de vida de luxo, oferecendo energia solar às moradias durante os 365 dias do ano

    Criança de 11 anos encontra fóssil de ictiossauro pré-histórico, o maior réptil marinho que já existiu

    Com a companhia do pai e pesquisadores, garota ajudou a desvendar a vida marinha de 200 milhões de anos atrás