Vento fraco

Por: Redação -
17/07/2014

O terceiro dia de regatas do Mundial da Juventude, que está sendo disputado em Tavira, Portugal, foi marcado por muita espera em terra por conta do vento que demorou a aparecer. Quando ele finalmente deu as caras, a equipe brasileira foi para a água para seguir na disputa dos lugares mais altos das classes SL16, 420 e Laser Radial masculino.

“O campeonato está sendo muito disputado, com alto nível de competidores. Estou conseguindo largar bem, com velocidade boa, então tenho uma boa expectativa em brigar por uma medalha. Este é um campeonato que não dá margem para erro, como aconteceu com a bandeira amarela que tomei ontem e me custou várias posições, então tento minimizar estes erros o máximo que posso”, disse Martin Lowy, quarto colocado na classe Laser Radial.

Na classe SL16, Kim Vidal e Antonio Lopes largaram escapados na segunda regata do dia, mas ainda assim conseguiram se manter na terceira colocação geral.

Na 420, Tiago Brito e Philipp Essle foram prejudicados na primeira regata do dia pelo mesmo motivo de Kim e Antonio, porém caíram para a 10ª colocação geral. A diferença de pontuação para o sexto colocado é de apenas cinco pontos e os brasileiros seguem na briga para melhorar a classificação.

“Os velejadores estrangeiros têm a vantagem de velejar sempre com flotilhas numerosas, coisa que não é comum ver no Brasil”, explica Edival Junior, um dos técnicos que acompanha a delegação brasileira.

Entre as meninas do 420, Giuliana Tozzi e Marina Issler fecharam mais um dia na 27ª posição. Nas pranchas da classe RS:X Breno Franciolli ocupa a 18ª posição após seis regatas, enquanto Maria Carolina Cruz está em 20º. Na 29er, Antonio Aranha e Stephan Kunath estão em 26º e Maria Carolina Boabaid está em 17º na Laser Radial Feminina.

A competição é realizada todo ano pela Federação Internacional de Vela, a Isaf, e reúne velejadores do mundo inteiro com idade até 18 anos. O Brasil tem um ótimo retrospecto, com 13 medalhas conquistadas até hoje, sendo seis de ouro, duas de prata e cinco de bronze. As regatas em Tavira seguem até o dia 19 de julho.

A delegação brasileira disputa o Mundial da Juventude da Isaf com o apoio da CBVela. A CBVela tem o patrocínio do Bradesco e o apoio da Slam.

Foto: Isaf Youth Worlds

 

Curta a revista Náutica no Facebook e fique por dentro de tudo que acontece no mundo náutico.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Na Holanda, live permite acionar "campainha de peixes" para liberar passagem de animais por eclusa

    Transmissão ao vivo mostra quando um peixe aguarda passagem; espectadores avisam operadores ao "tocar campainha"

    Renault apresenta veleiro desmontável, jet elétrico e prancha motorizada

    Marca francesa propõe novas soluções de mobilidade e mostrou inovações durante lançamento de carro elétrico

    No NÁUTICA Talks, Alberto Brandão fala sobre as regatas virtuais no Brasil

    O jogo Virtual Regatta será o centro do papo sobre o eSailing no país, em palestra que acontece dentro do Rio Boat Show 2024

    Movido a energia solar, novo catamarã da Sunreef Yachts promete bateria de 1 mil kWh

    Modelo da Sunreef Yachts contará com tecnologia que percorre toda superfície externa do barco para captar a luz do sol

    JF Sun levará linhas de óculos e acessórios ao Rio Boat Show 2024

    Com especialização em lentes polarizadas e esportivas, marca estará de 28 de abril a 5 de maio, na Marina da Glória