Volta ao passado

Por: Redação -
19/06/2015

Há quase 50 anos Sir Robin Knox-Johnston se tornou o primeiro homem a circunavegar o globo sozinho sem paradas. Foram 312 dias no mar usando água da chuva para matar a sede e carne e sardinha para matar a fome. O desafio chamado de Golden Globe Race foi proposto pelo jornal britânico Sunday Times e Sir Knox-Johnston foi o único a completar a prova.

Agora, perto da comemoração de meio século do feito, o desafio está novamente de pé, mas para isso é preciso deixar em terra todos os equipamentos eletrônicos que os velejadores modernos estão acostumados. Nem mesmo o piloto automático — essencial nos momentos de descanso — poderá subir a bordo dos veleiros desta jornada. E o modelo dos veleiros também são específicos, além do tamanho, de 9,75 a 10,97 metros, só poderá participar veleiros com projetos desenhados até o ano de 1988. O sextante, barômetro e uma boa pitada de intuição serão os únicos companheiros dos velejadores durante a travessia. Para comunicação apenas rádios VHF serão permitidos e uma câmera Super 8 e gravadores de voz do tipo cassete serão os únicos meios de registrar a aventura. Cada barco até irá levar um gps, mas ele só servirá para que os organizadores possam monitorar os veleiros e efetuar um salvamento se necessário.

Tantas exigências, esclarece os organizadores, é para levar os velejadores exatamente ao ponto de partida da primeira e lendária Golden Globe Race e eles afirmam que já receberam diversas manifestações de interessados em participar da regata ao estilo “túnel do tempo”.

Apenas 26 veleiros poderão se inscrever na competição que tem data marcada para começar, 14 de junho de 2018. As embarcações largarão de Falmouth (Inglaterra), o ponto exato onde começou a corrida original. E para deixar tudo ainda mais real, até Sir Robin Knox-Johnston estará presente na largada.

Só há um detalhe, é preciso estar preparado para uma longa viagem, pois, se hoje, é possível terminar uma volta ao mundo a vela em apenas 80 dias, a nova Golden Globe Race tem tempo estimado de duração de 300 dias, ou seja, 10 meses a bordo de um veleiro para cruzar, completamente sozinho, o globo por água.

 

Curta a revista Náutica no Facebook e fique por dentro de tudo que acontece no mundo náutico.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Com propulsão eólica, Airbus terá frotas marítimas contra emissões de dióxido de carbono

    Gigante da indústria aeroespacial terá velas rotativas e motores biocombustíveis; entenda

    Vila flutuante nas Maldivas promete ser o mais novo "point" dos milionários

    Projeto da rede de hotéis de luxo Soneva traz uma série de comodidades luxuosas com diárias a partir de R$ 25,6 mil

    São Paulo inaugura estruturas náuticas de uso público para alavancar turismo

    Municípios de Pereira Barreto, Três Fronteiras e Rubinéia deram início à primeira fase do Programa de Turismo Náutico

    Nada de bingo! Aos 81 anos, velejadora aposentada bate recordes navegando sozinha

    Mesmo aposentada, Jeanne Socrates já realizou voltas ao mundo num veleiro, e totalmente solitária

    Solara Boat House fará sua estreia nas águas durante o Rio Boat Show 2024

    Estaleiro terá ainda 3 lançamentos e outros 6 barcos no evento que acontece de 28 de abril a 5 de maio, na Marina da Glória